quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Por que viver em paz é tão difícil?

"A paz é a única forma de nos sentirmos realmente humanos." - Albert Einstein

Há algum tempo venho pensando sobre a paz. Hoje gostaria de compartilhar essas idéias com meus leitores. Por que é tão difícil viver em paz? Pelo corre corre de todo dia? Pelas situações em que a vida nos coloca, às vezes sem nos pedir licença? Ou simplesmente gostamos de "viver perigosamente"?

Antes de responder por que é difícil viver em paz, o lógico é pensar um pouquinho sobre o que é viver em paz. Quero contar uma história. Em 29 a.C., o imperador romano Augusto declarou o fim das guerras em que o Império Romano estava constantemente envolvido, pois Roma já havia conquistado todos os territórios ao redor do Mar Mediterrâneo, na Europa, norte da África e Oriente Médio. Essa fase de calmaria ficou conhecida como Pax Romana e durou até 180 d.C. Bom ter paz, não é? Para os romanos não foi um negócio muito bom não! Sem inimigos de fora para combater, começaram a aflorar muitas tensões internas (lembre-se que havia no Império Romano muitos povos vivendo juntos, com línguas e costumes bem diferentes uns dos outros). Logo o exército romano, muito conhecido por suas estratégias e eficácia militar, não combatia povos inimigos. Ao invés disso lutava com a própria população romana, numa tentativa de instituir a mesma língua e cultura (o que, podemos imaginar, não era uma ordem executada de forma tranquila pelos soldados... e nem recebida de bom grado pela população). O que existia era uma paz armada, uma paz forçada, sempre lutando para abafar (e não para resolver de forma harmoniosa) os conflitos interiores do império.

Em diferentes culturas empilhar pedras enquanto se reflete 
sobre um tema ou questão é uma atividade usada para 
encontrar a paz interior e o equilíbrio. Vamos tentar?
Mas o que um bando de romanos que viveram há 2 mil anos tem a ver com a gente? Não somos romanos! Mas podemos usar essa história como exemplo. Viver em paz requer coragem. Muito mais coragem do que viver em meio aos conflitos da nossa realidade exterior. Porque, assim como aconteceu com os romanos, se tentarmos ficar em paz, irão surgir uma série de conflitos internos, dos mais variados tipos. E é preciso resolvê-los (e não apenas abafá-los!) com cuidado e diplomacia.

Quando falo em viver em paz não quero dizer viver um marasmo, como muita gente pensa logo que começo a colocar essas ideias. Viver em paz é manter uma postura interna voltada para a paz, para a harmonia, para o que será melhor para nós e para o todo do qual somos parte e ao qual estamos conectados. A vida ainda terá problemas, conflitos e atribulações? Claro que sim! Basta estar vivo para ter problemas. O que quero dizer é que, vivendo em paz, mantendo esse sentimento (ou essa atitude?) dentro de nós, podemos olhar para os problemas e conflitos da nossa vida de maneira mais tranquila e harmoniosa. E assim podemos ganhar mais qualidade de vida, inclusive evitando doenças que, estando em paz com a gente mesmo, não precisaremos somatizar.

Por que viver em paz é tão difícil? Por muitos motivos. Cada um tem o seu. O que quer dizer que cada um terá de responder a essa questão por si mesmo. Proponho, então, outra pergunta: por que não tentar viver em paz? Vamos nos dar uma chance! Como manter a paz interior? 

Existem muitas técnicas que podemos usar para nos ajudar a manter a paz interior. 
- Exercícios de respiração (para saber mais sobre eles, clique aqui!). 
- Meditar todos os dias, dar um tempinho para você mesmo, para refletir sobre algo que toque o seu coração ou que de alguma forma te afete. Ou "apenas" para esvaziar a cabeça! 5 minutinhos ao acordar ou antes de ir para a cama já fazem muita diferença! 
- Procurar manter relações saudáveis e que nos fazem bem. 
- Resolver nossos conflitos em lugar de apenas "colocar o pino na panela de pressão". 
- Conhecer e respeitar nossas necessidades. Será que precisamos de mais tempo de sono? Ou de mais exercícios físicos? Ou um trabalho mais estimulante? De que você precisa?
- Colocar com clareza e respeito o que pensamos, sentimos ou precisamos, evitando assim muitos conflitos (internos e externos!). 
- Em diversas culturas antigas, orientais e ocidentais, existia o hábito de empilhar pedras enquanto se pensa sobre uma situação, um problema ou mesmo um tema que venha à mente. Que tal reservar um tempinho, pegar algumas pedrinhas e tentar? Qualquer pedra serve! Com certeza você as encontrará em praças ou mesmo na rua.

Mas, principalmente e antes de tudo, é preciso ter em mente a intenção de se manter em paz, e permitir que essa intenção governe os nossos pensamentos, atos e palavras, harmoniosamente, como um maestro que rege sua orquestra. Uma boa forma de conseguir isso é questionando-se antes de agir ou falar por impulso: em que (o que você pretende fazer/falar) fará de seu mundo um lugar melhor e/ou de você uma pessoa melhor, mais harmoniosa? Em nada? E será que vale mesmo a pena ou precisamos repensar nossas atitudes??

Um comentário:

  1. Muito bom o texto. Obrigado pelas dicas de como manter a paz interior, estava precisando hoje mesmo. Fique com Deus!

    ResponderExcluir