sexta-feira, 26 de julho de 2013

Ágora - Escolha profissional e a área "psi"

Meu nome é César, tenho 16 anos e estou no 2o ano do ensino médio. Esta fase é muito estranha porque além de todas as coisas da vida tu tens que escolher uma profissão. Bia, acho que sou novo demais para decidir meu futuro assim tão rápido. Por enquanto sei que quero trabalhar com pessoas, com a mente das pessoas. Queria entender melhor qual a diferença entre psicólogo, psiquiatra, psicanalista e terapeuta. Queria seguir uma dessas profissões psi, mas não tenho certeza qual. Obrigado
César - Santa Catarina

Olá, César.

Um dia já tive a mesma dúvida que você. Sabia que queria ser algo de "psi", mas o que? Também me senti um pouco insegura na hora de escolher uma profissão, a maioria das pessoas se sente assim (embora alguns anos depois, poucos admitam isso). Parece que a vida tem tantas questões mais urgentes... família, amigos, relacionamentos, a miséria no mundo, as guerras, a fome, as doenças, a violência, o medo que tantas pessoas sentem de seus semelhantes... e o pessoal pressionando na escolha da profissão! A vida adulta parece próxima, mas ao mesmo tempo distante.

Infelizmente ou felizmente, o momento da escolha se aproxima. Escolher sempre dói, porque quando escolhemos um caminho, estamos dizendo "não" às outras possibilidades. Se escolhi ser psicóloga e trabalhar nesta área, dificilmente poderei ter em paralelo uma carreira de guia turística, cheia de horários e compromissos, por mais que eu goste de passear... Quando tomei minha decisão, imaginei um dia na vida de cada profissional das áreas em que eu pensava em seguir. Pode ser interessante conversar com alguns profissionais de áreas que te interessam, conhecer um pouquinho do trabalho e do dia a dia deles para saber se é mesmo o que você quer para si, conhecer o ambiente de trabalho, a rotina, etc. Pergunte mesmo! É um ótimo jeito para se informar sobre uma decisão tão importante. Além disso, a nossa ansiedade diminui bastante quando lembramos que sempre podemos mudar de ideia, se não gostamos de um caminho, sempre podemos experimentar outros... A seguir, vamos ver algumas informações sobre as profissões que você mencionou.

- Psicólogo: O psicólogo fez faculdade de psicologia, que inclui aulas teóricas e práticas, além de estágios em diferentes áreas de atuação do psicólogo. Tem gente que não sabe, mas podemos trabalhar em diversas áreas além da clínica, como em empresas, escolas, junto a equipes esportivas, etc. Há algumas semanas, a Ana Carolina escreveu perguntando sobre as áreas de atuação do psicólogo, acho que você pode se interessar (clique aqui para ver). Importante dizer! Nós psicólogos não trabalhamos com medicamentos. Isso quer dizer que procuramos resolver as raízes do conflito que causa o mal estar ou os sintomas de nosso paciente em lugar de atenuá-los com remédios. Claro que existem casos mais graves (por exemplo, quando existe risco de suicídio), em que o uso de medicamentos é necessário num primeiro momento. Nesses casos, é fundamental a parceria com o psiquiatra, que irá medicar o paciente enquanto nós psicólogos tratamos o lado psíquico da doença, os conflitos que levaram ao desenvolvimento dos sintomas (emocionais ou físicos).

- Psiquiatra: O psiquiatra fez faculdade de medicina e a residência em psiquiatria. Geralmente trabalha com tratamentos medicamentosos, que inibem os sintomas psicológicos dos conflitos. É importante que o paciente psiquiátrico faça terapia com um psicólogo, pois "esconder" os sintomas não resolve os problemas da pessoa.

- Psicanalista: A psicanálise é uma linha de pensamento, uma das muitas abordagens psicológicas. Psicanalistas mais ortodoxos consideram que é parte deste grupo apenas quem segue estritamente os métodos e teorias dos grandes nomes da psicanálise (como Freud, Lacan, Melanie Klein, Winnicott...). Podemos dizer que falamos de psicanálise sempre que abordamos o inconsciente, ou melhor, o inconsciente enquanto o "lugar" onde estão nossos conteúdos reprimidos que geram nossos conflitos (diferente de outros teóricos, como Jung, que vê o inconsciente de maneira mais ampla). Importante saber que existem outras abordagens psicológicas, como a cognitiva comportamental, a humanista, a sócio-histórica, a existencialista, a psicologia analítica, as linhas corporais, entre muitas outras. Cada psicólogo trabalha com a abordagem com a qual se identifica, com o "ponto de vista" que se sente mais a vontade para olhar para seu paciente.

- Terapeuta: É terapeuta todo profissional que oferece algum tipo de tratamento terapêutico para a psique e/ou para o corpo. Entram aí profissionais da psicologia, terapia ocupacional, arte terapeutas, entre outros. Muitas vezes este termo é utilizado para os profissionais das chamadas "terapias alternativas" (cromoterapia, florais, tarot terapêutico, e outros métodos). Independente do campo de atuação, o terapeuta aplica suas técnicas (de acordo com a área de formação) sempre visando o estabelecimento de saúde e qualidade de vida para a pessoa. Terapia vem do grego therapia, que significa tratar, cuidar.

Independente da área de formação do profissional, ou da abordagem teórica, acredito que o cuidar sempre será o mais importante, pois é esse cuidado que nos permite ver o paciente como um todo e não como uma doença ou sintoma. Independente da área que você escolher seguir, César, siga sempre levando claro na mente este pensamento, este foco acima de tudo.

Caso a dificuldade em tomar esta decisão continue, você sempre pode procurar um psicólogo para fazer uma orientação profissional e planejamento de carreira. Isso pode ajudar muito a conhecer sua personalidade, suas preferências e também a planejar com cuidado os passos da sua formação e carreira. Lembre-se que apenas você pode fazer a sua escolha. E, para isso, é fundamental se conhecer bem.

beijo
Bia

Para participar da coluna Ágora, envie a sua pergunta para o email bf.carunchio@gmail.com, você também pode participar enviando sua pergunta através da nossa página no Facebook ou do meu perfil pessoal.  Você tem a opção de se identificar ou de se manter como anônimo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário