quinta-feira, 11 de julho de 2013

Cultive os seus talentos

"Para fazer uma obra de arte não basta ter talento, não basta ter força, é preciso também viver um grande amor." - Wolfgang Amadeus Mozart, compositor austríaco (1756 - 1791)

Já conversamos outras vezes sobre talentos (no artigo Não transforme suas qualidades em problemas, clique aqui para ver), mas este é um tema que sempre é bom falar um pouquinho mais. Todos nós temos talentos. Temos nossas qualidades. Quando começo este tipo de assunto, quase sempre as pessoas tendem a pensar na vida profissional ou então em talentos artísticos. Mas não é isso. Ou melhor, não é só isso. Talentos podem aparecer em diferentes áreas, seja no lado profissional (os administradores brilhantes, a pessoa ótima em cálculos, alguém que domina uma técnica com precisão espantosa...) e artístico (desenhistas, compositores, músicos, escultores...), mas também no campo das relações humanas (pessoas muito empáticas, que conseguem se colocar no lugar do outro e perceber as coisas do ponto de vista dele com facilidade, por exemplo, pessoas que conseguem resolver e gerenciar conflitos...), na comunicação (pessoas que falam bem em público, por exemplo, passando informações de maneira clara e fácil de entender), nos esportes...

São os talentos que dão um colorido especial ao nosso mundo, pois nos permitem
ser quem somos e ter uma autoestima saudável.
O primeiro ponto é abrir os olhos. Conheça os seus talentos. Preste atenção ao seu dia a dia, perceba em que você se destaca. Ou então, como diz um amigo meu, perceba o que te faz sorrir. Ah, e perceba também em que tipos de atividade e de situação você realmente não se dá muito bem. Provavelmente os seus talentos são opostos a essas atividades (quem tem dificuldade em manter a atenção, geralmente pode ser uma pessoa bem criativa, por exemplo, da mesma forma que pessoas com dificuldades em atividades criativas podem ter um grande talento em atividades que exijam grande atenção e concentração).

O passo seguinte é criar um cenário. Crie uma realidade favorável aos seus talentos! Se sou uma pessoa criativa, preciso abrir tempo e espaço na minha vida para dar vazão a essa criatividade, seja escrevendo, desenhando ou inventando a moda que me vier na mente! Se meu maior talento estiver no campo das relações humanas, preciso vivenciar essas relações! Preciso conversar com pessoas, ou talvez eu queira me sentar numa mesinha de um café e observar. Se o talento for organizar, a pessoa se sentirá realizada criando formas de organização que facilite sua vida e a de outras pessoas. E por aí vai. Aliás, vá além. Crie um espaço físico para seu talento. Adora desenhar? Tenha alguns lápis de cor em casa, crie um cantinho (ainda que temporário) para esta atividade. Seu talento é estudar e aprender cada vez mais? Crie um ambiente ideal para isso, com boa luminosidade, bem arejado e silencioso (outra vez, pode ser a mesa da cozinha, mas no momento em que for desempenhar algo especial para você, crie este ambiente, este cenário). Imagine só a pessoa criativa do primeiro exemplo que é impedida de colocar seu talento em prática. Porque a vida é corrida. O trabalho dela talvez seja mais mecânico e não tenha relação com a criatividade. E chega em casa tão cansada que não consegue usar esse talento. O que acontece com ela? Num primeiro momento, ela pode ter sintomas emocionais. Fica mais triste, mais irritada, se torna uma pessoa tensa. Se não der atenção à isso e mudar seu estilo de vida, logo os sinais chegarão ao corpo: pode manifestar dores e sintomas, geralmente bem simbólicos!

Mesmo que o seu talento (como o meu) não esteja no campo da organização, neste momento teremos que organizar! Reestruturar nossas rotinas, cortando o que não faz sentido e abrindo espaço para o que realmente importa. Permita-se um tempo para si e para o que gosta de fazer. Mesmo que seja um tempinho na tarde do domingo... É importante ter esse respiro.

Ah, mas eu não tenho talentos! Procurei por eles como você sugeriu e minha vida é "normal", não tenho talentos! Está olhando para os lugares errados. Quando algum conteúdo nosso não se manifesta na nossa consciência, na certa esse conteúdo está no inconsciente. Num arquétipo chamado sombra, junto com os lados nossos que não admitimos ter e/ou que nunca tivemos a oportunidade de desenvolver (para saber mais sobre isso, veja o artigo Os maiores tesouros estão na sombra, clicando aqui!). Talentos e habilidades podem sim estar na sombra. Só é preciso trazê-los para a luz, pois a forma ideal de se lidar com os conteúdos da sombra é integrá-los à consciência, isto é, conhecê-los e permitir que se mostrem. Como fazemos isso? Um bom início é estar mais atento aos sonhos e fantasias, a sombra se expressa bastante nesses conteúdos. Outro bom caminho é a experimentação. Ninguém jamais saberá se é bom com desenhos se não se permitir desenhar, por exemplo. Ninguém descobre se ensina bem se não se aventurar nessa área.

Algumas culturas, como a Romana e a Japonesa, acreditavam que uma vez desembainhada, a espada precisava ser usada. Assim são nossos talentos. Uma vez que tomamos consciência deles, precisam ser usados. Exigem aparecer no nosso dia a dia, nas nossas atividades e atitudes. Quando reprimimos os talentos, seja pelo motivo que for (de baixa autoestima a medo de se destacar), eles voltam a nos assombrar através da sombra! Algumas pessoas preferem reprimir sua sombra ao invés de lidar com ela... e geralmente é aí que os conflitos entram em evidência.

Aposte na sua felicidade. Confie nos seus talentos. Eles são uma parte importante de você. Aquela parte que te permite fazer algo de coração e fazer isso sorrindo, a parte sua que faz algo que ama e assim "vive um grande amor", como disse Mozart. Não deixe que seus talentos morram ou pior, que se estagnem e passem a formar um tipo de "matéria morta" lá no fundo da nossa psique, junto com os sonhos em que não acreditamos mais. Dê uma chance a si mesmo e à sua felicidade!

Nenhum comentário:

Postar um comentário