quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Timidez

"Desculpem eu ser eu. Quero ficar só! Grita a alma do tímido que só se liberta na solidão. Contraditoriamente, quer o quente aconchego das pessoas." - Clarice Lispector, escritora brasileira (1920-1977)

O tema do artigo de hoje foi sugerido pela minha amiga e leitora Stella Benedetti, há algum tempo atrás. Falar sobre timidez quase sempre é algo feito colocando o assunto como um problema, ou então meramente catalogando as pessoas: "é quieta, deve ser tímida!". Espero conseguir não fazer isso.

A timidez se manifesta em muitas pessoas, independente da idade, classe social ou etnia. Aliás, um ponto interessante é que, em época de redes sociais e da comunicação em evidência, existem cada vez mais pessoas tímidas. Isso acontece por diversos motivos, entre eles porque com o aumento das relações virtuais, houve uma diminuição das relações face a face. Conto sempre o caso do adolescente viciado em computador que, ao ser perguntado se não sentia falta de ficar face a face com os amigos, respondeu "não tenho esses problemas, meu computador tem webcam embutida". Outro motivo é o distanciamento entre as pessoas. Perdemos o costume de conversar. Mesmo em casa, com a família, poucos têm o hábito de falar de si e de como foi o dia, por exemplo, ou de como se sentem perante uma situação. Pouco se fala além daquela conversinha social em que, ao ser perguntado "como está" a pessoa já responde "tudo bem", mesmo que não esteja. Chegamos a um ponto em que a pessoa que deseja um contato mais profundo é vista como dependente, e a pessoa que tem a delicadeza de ouvir o outro, é vista como tímida. Além disso, vivemos num mundo cada vez mais exigente e acelerado, que nos oferece poucos apoios e recursos para que se cumpram tantas obrigações e compromissos.

A timidez é o comportamento de insegurança ou de esquiva frente a um contato
com o outro, em situações em que o tímido estará em evidência.
Mas o que é a timidez, exatamente? Quase sempre se fala sobre ela como um problema. Aliás, um grande problema a ser superado o quanto antes! Como você ousa não ser sociável?! Mas eu vejo a situação do tímido de outro jeito. Não penso que seja necessariamente um problema, dependendo do grau e da situação em que a timidez aparece. Em psicologia, uma característica, comportamento ou sentimento só é patológico se coloca a gente ou outras pessoas em risco, ou então se nos causa sofrimento. Conheço muitos tímidos "leves" que lidam bem com sua timidez, e então ela passa a ser uma característica nossa, não necessariamente algo que a pessoa precise eliminar de si. A timidez é um desejo/necessidade de estabelecer um contato com o mundo externo, mas na hora que o contato está quase acontecendo, o tímido se retrai. Em geral, a pessoa tímida tende a valorizar excessivamente a opinião dos outros, maitas vezes mais do que a própria, por isso se preocupa sobre como será visto. Além disso, boa parte dos tímidos têm um padrão de qualidade alto, no popular, tendem a ser "perfeccionistas" e cobrar demais a si mesmos. Por isso, pensa que os outros farão o mesmo ou que julgarão seu comportamento/tarefa/sentimentos como inadequados. Muitas vezes, o tímido está errado.

Há vários tipos de timidez, a situacional (por exemplo, pessoas tímidas apenas para falar em público, ou para paquerar, ou em situações de trabalho...). É bem comum pessoas muito sociáveis se dizerem tímidas e, acredite, estão sendo sinceras, pois algumas vezes a timidez não se manifesta nas relações informais, ou seja, nas amizades, na família, nos relacionamentos amorosos, mas sim no mundo burocrático e formal do trabalho, por exemplo. Existe também a timidez crônica, ou seja, a pessoa é tímida o tempo todo, seja para apresentar aquele trabalho importante, seja para conversar com os amigos íntimos. Além disso, a timidez significa coisas diferentes para pessoas diferentes ou nas diversas fases da vida. Na adolescência, por exemplo, a timidez é muito frequente e, até certo ponto, normal, pois é nessa fase que passamos a nos perceber como capazes de fazer nossas próprias escolhas, mas ainda não temos a maturidade e a experiência anterior do adulto, por isso com frequência o adolescente se sente tímido e inseguro sem que isso tenha um significado maior, como seria o caso de uma criança pequena, por exemplo.

Neste ponto, é importante diferenciar a pessoa tímida da pessoa introvertida. Parece ser a mesma coisa, mas existe uma diferença fundamental: enquanto o introvertido é, como diz a palavra, voltado para dentro de si mesmo, o tímido pode não ser introvertido, pode ser voltado para fora, para o mundo e as relações (extrovertido, o que também não significa uma pessoa super sociável e simpática; introvertido e extrovertido são apenas formas de ver a realidade, focando mais o mundo interno ou o externo). O tímido pode sim ser extrovertido, pode ter o seu foco no mundo externo e, se for este o caso, provavelmente sofrerá mais com a sua timidez, pois é próprio do extrovertido buscar o contato com o mundo de fora enquanto a timidez causa certo retraimento, certa inibição quando a pessoa se coloca no mundo. Diferente do introvertido que, voltado para o mundo interno, tende a ver esse contato com o externo como algo que fica segundo plano, não buscando tantas relações e tanta agitação quanto o extrovertido. O introvertido pode não ser tímido e, se for, principalmente num grau leve, isso dificilmente será visto como algo problemático.

Algumas estratégias para lidar melhor com a timidez:
- Fazer atividades que permitem que você se expresse e, ao mesmo tempo, que conviva com outras pessoas, por exemplo, participar de grupos de teatro, coral, dança...
- Fique atento e perceba em quais situações a sua timidez se manifesta. É em alguma área da vida, como o trabalho/escola ou os relacionamentos amorosos? É ao ter que resolver questões com autoridades? É em períodos de maior estresse ou sempre? É ao ter de falar em público, como ao apresentar um seminário ou ao dizer algumas palavras numa sala cheia? Ou ao chegar a um lugar onde não conhece ninguém (uma festa ou um jantar, por exemplo)? Enfim, quando a timidez se manifesta? Desenvolva estratégias que aumentem a sua autoconfiança nesse tipo de situação, como ensaiar antes o que vai dizer ou respirar fundo para se acalmar.
- De que formas a timidez se mostra em você? Ela aparece no corpo (tremores, rubores, sintomas?) ou na forma de emoções claras? Ou é apenas certo mal estar? Conheça a sua timidez, ninguém combate ou faz as pazes com um inimigo invisível.
- O problema é falar em público? Treine em frente ao espelho! 
- Conte aos outros que você é tímido. Pode não parecer, mas isso é libertador! Quando fazemos isso, a maioria das pessoas desenvolve uma postura mais aberta e suportiva. No mínimo você não terá preocupações além da tarefa a ser desempenhada, como se preocupar se estão percebendo que seu rosto corou ou se as pessoas sentadas na última fila percebem os tremores das suas mãos... Além disso, mesmo em situações tranquilas, conte isso aos amigos. Muitos podem ajudar você a lidar com isso, além de estarem mais propensos a aceitar essa característica sua sem vê-la como problema.
- Traga com frequência à sua memória as lembranças de situações em que você enfrentou situações de timidez e se saiu bem. Isso ajuda nossa mente a criar um padrão, e o padrão que queremos criar aqui é de que somos capazes (de falar com o bonitão ou bonitona, de apresentar o seminário da faculdade, de contar aos amigos e familiares sobre como se sente quanto a algo, etc.).

Atenção: se a timidez causa problemas que impedem o andamento normal das atividades diárias, seja problemas físicos (falta de ar, dores de estômago, problemas intestinais, náuseas, alergias, etc.) ou emoções fora do seu controle (pânico, crises de choro ou de estresse muito fortes, sentimento de impotência e baixa autoestima, por exemplo) não há o que discutir, é hora de buscar ajuda.

Cada pessoa tem suas características. Nossa personalidade é formada por um conjunto de características, cada uma delas em maior ou menor grau. Essas características, junto com a forma como compreendemos nossa história e com os sonhos para o nosso futuro, formam a pessoa que somos. Somos únicos, somos todos muito complexos. Por isso, uma característica isolada, como a timidez, não é o bastante para definir uma pessoa e seu futuro. Se a timidez é uma parte sua, gostaria de fechar esse artigo dizendo que ela é mais um detalhezinho que te torna quem você é. Está tudo bem em ser você. Tenha sempre em mente que as pessoas queridas gostam de você com ou sem a timidez.

4 comentários:

  1. Eu era muito tímido;
    Em certas ocasiões eu ainda fico quieto, na minha.
    Porém, mudei muito. Nem sei porque. Creio até que foi quando comecei a publicar o que escrevia.
    Hoje sou um cara de pau - risos.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha! eu também já fui tímida! Acho que conforme a gente se expõe e diz o que pensa vai mudando isso...
      bjs

      Excluir
  2. Bia eu também sou tímida mais eu sei que preciso acabar isso, Bia te seguindo te convido pra você conhecer o meu blog, passando pra te desejar um ótimo final de semana fique com Deus beijos.
    Blog:Lucimar Estrela da Manhã

    Grupo:Divulgue seu blog no Facebook

    Fan Page

    Me encontre no Pinterest

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lucimar, muito obrigada! Um lindo final de semana também para você. Vou lá conhecer o seu blog.
      bjs

      Excluir