sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Ágora - Como ser mais criativo

Você pode dar algumas dicas de como ser mais criativo? Não sou nada criativo e ouvi dizer que a criatividade ajuda a inteligência, por isso queria melhorar esse meu lado. Obrigado.
Junior - Brasília


Olá, Junior!

A ideia que se tem de inteligência hoje em dia, entre os psicólogos, é bem diferente da que se tinha anos atrás. A inteligência não é uma só, é múltipla (linguística, numérico-matemática, corporal, interpessoal, emocional, etc.). Assim, inteligência envolve todo tipo de habilidade que pode nos ajudar a resolver bem os desafios da vida, não apenas os desafios acadêmicos e escolares, mas também as situações do dia a dia, como situações sociais e interpessoais. Isso significa que existem diferentes estilos de inteligência, sem que um seja melhor ou pior que a outra, cada pessoa se sairá melhor em atividades relacionadas às suas habilidades.

Vejo a criatividade como algo ligado ao ousar. Ousar tentar algo novo, ou mesmo ousar tentar algo já muito conhecido através de novos caminhos. Um ponto importante sobre as diferentes características que compõem a nossa personalidade, é que todos temos todas elas. Algumas vezes as temos num grau mais alto e elas se destacam, a ponto de alguém nos definir através dela: "Fulano é tão sociável!" Outras vezes, as temos num grau mais mediano, quando certa característica nem se destaca e nem deixa a desejar, apenas cumpre sua função. É o caso do estudante que, por exemplo, nem se destaca em matemática, mas consegue notas satisfatórias para não perder o ano. Outras vezes, essas características são baixas ao ponto de pensarmos que não as temos, como quando você me conta que "não é criativo". O que geralmente acontece é que essas características que acreditamos que não temos, ou que temos num grau muito baixo, estão na nossa sombra, naquele lado menos acessível e mais profundo da psique. No plano da consciência, geralmente as características que temos em baixa são supridas por seu oposto/complementar. Por exemplo, existem pessoas muito atentas e focadas na realidade. Outras têm essa atenção concentrada como uma característica mais rebaixada, e isso pode ser suprido por uma postura mais criativa perante a realidade. Da mesma forma, por exemplo que existem pessoas que vêem o mundo ao seu redor de forma mais emocional ou, ao contrário, mais racional. Mesmo as características mais rebaixadas e/ou que estejam na sombra podem sim ser trazidas para o consciente. Aliás, isso é muito saudável.

Algumas sugestões para exercitar a criatividade:

- Permita-se errar. Sem a pressão de ter que acertar sempre, a mente pode trabalhar com maior liberdade e se permitir perceber o mundo de outra forma e executar as tarefas de novos jeitos.

- Veja a situação de outro jeito. Mude o ângulo de visão e a realidade mudará. Uma boa forma de exercitar isso é descrevendo ou desenhando um objeto. Depois, vire-o e faça o mesmo, olhando-o por um novo ângulo. Nossa mente generaliza essa habilidade de "ver sob outro ângulo" para as diferentes esferas da vida.

- Leia mais, especialmente leituras não teóricas, como romances, contos, obras de ficção e de poesia. Isso nos permite conhecer outras realidades, que podem ser bem diferentes da nossa, e nos ensina ainda a nos colocarmos no lugar do outro (no caso, do autor, do narrador ou das personagens). Diferente de quando assistimos a uma história pronta, a leitura (ou ouvir alguém lendo) nos obriga a trabalhar a imaginação de maneira mais intensa.

- Crie. Permita-se criar com liberdade. Pode ser criar um desenho ou escultura em argila, pode escrever algo, pode criar receitas na cozinha, criar um novo look com suas roupas e acessórios, novas formas de decorar a casa ou o seu quarto... Neste campo, não há limites!

- Abra-se para o novo. Permita-se ir para seus compromissos percorrendo caminhos diferentes, ouça novas músicas, vá a novos lugares, experimente novos sabores, conheça novas pessoas... Todas essas novidades atuam no nosso cérebro criando novas sinapses, isto é, novas interações entre nossos neurônios, e isso cria novas redes.

- Use a outra mão. Quem é destro pode tentar fazer atividades rotineiras com a mão esquerda, e quem é canhoto, com a direita. Tente comer, escrever, escovar os dentes, se pentear ou o que for com a outra mão. Isso trabalha nosso outro hemisfério cerebral, o não dominante (e mais criativo), além de também favorecer as novas sinapses.

- Entre em contato com o inconsciente, ele é um poço inesgotável de criatividade. Pode ser anotando sonhos, meditando, ou apenas se permitindo imaginar.

- Dê um tempo! Ninguém é criativo com pressa. Por mais ocupado que você seja, reserve um tempinho para si, para olhar as flores, caminhar, tomar um chá... Esse "ficar a toa" também é parte de uma vida equilibrada. Quando estamos o tempo inteiro com pressa, ficamos mais tensos e, com o passar do tempo, mais estressados, e além de não ser bom para a saúde, isso é horrível para a criatividade.

Por fim, ser criativo está muito ligado a se permitir ser quem você é. Permita-se pensar e sentir diferente do que é esperado, permita-se ver a vida pelos seus próprios olhos e vivê-la conforme os seus próprios valores e respeitando as suas escolhas.

beijo,
Bia

Para participar da coluna Ágora, envie a sua pergunta para o email bf.carunchio@gmail.com, você também pode participar enviando sua pergunta através da nossa página no Facebook ou do meu perfil pessoal.  Você tem a opção de se identificar ou de se manter como anônimo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário