sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Ágora - Pessoas difíceis de lidar

Oi Bia gosto muito do seu blog. Queria saber pq algumas pessoas são tão difíceis de lidar????? Na minha cidade tem só gente chata e difícil, um monte delas!!!!! kkkkk ...........bjs
Anônimo


Bom dia Anônimo!

Mas que coisa, hein?! Uma cidade cheia de pessoas de relacionamento difícil? Bom, vamos lá! Um relacionamento é sempre um desafio (seja um relacionamento amoroso, de família, de amizade, de trabalho, ou aquelas interações sociais que a gente tem no nosso dia a dia, tipo com o caixa do supermercado, com o motorista do ônibus, com o vizinho, com o médico, ou com alguém numa fila qualquer...). Digo que é um desafio porque, quando entramos em qualquer tipo de interação com outra pessoa, precisamos conectar a nossa subjetividade (nossas ideias e sentimentos quanto ao "tópico" do relacionamento, nossos valores, nossa consciência da nossa história, a visão que temos do outro com quem interagimos, etc.) à subjetividade da outra pessoa. Dá para imaginar que a subjetividade de ninguém é igual a de mais ninguém, cada um de nós é único. Num relacionamento, podemos dizer que estamos num terceiro campo, isto é, nem apenas na nossa subjetividade, nem apenas na do outro, mas num local onde ambas se tornam uma terceira coisa, que se chama intersubjetividade. Como essas duas subjetividades se relacionam nesse terceiro campo que se cria nas relações depende de cada pessoa! Algumas vezes, as subjetividades se conectam... outras vezes, elas se interpõem... outras vezes, ainda, uma tenta prevalecer sobre a outra... Outras vezes elas se mesclam quase que por completo... as formas de estabelecer relacionamentos são tantas quantas as possibilidades de interação que o convívio com os outros nos permite. Qual dessas formas é a melhor? Nenhuma! São formas diferentes de estabelecer relações e vínculos. O que podemos questionar é qual é a melhor para você.

Diante desse cenário, é normal e até esperado que algum tipo de conflito possa surgir dos relacionamentos. Ah, um conflito não quer dizer necessariamente uma "briga". Um conflito acontece sempre que algum detalhe do nosso mundo interno não coincide com o mundo interno do outro. Mas, que fique claro, existem muitas formas de lidar com essas diferenças, a escolha é sempre nossa. Não falo apenas de respeitar as diferenças (mesmo porque isso é fundamental), mas sim de como vamos interagir na prática com as ideias, valores e comportamentos diferentes daqueles que nós teríamos. Evitando-os? Tentando aprender sobre novas formas de vida? Refletindo sobre o nosso próprio jeito de pensar e de agir? "Passeando" ocasionalmente pelo jeito do outro?

Tendo em vista seu comentário, acho importante falar um pouquinho sobre projeção. Em psicologia, uma projeção acontece sempre que vemos no outro alguma característica (boa ou ruim) que na realidade é nossa mas não aceitamos vê-la em nós mesmos. Claro que é normal existir algum conflito nas relações... Também pode acontecer de encontrar uma pessoa ou outra que é tão diferente de nós que simplesmente não sabemos como lidar com ela. Mas quando a cidade inteira é formada por pessoas difíceis, é preciso começar a questionar se a dificuldade não está em nós mesmos, seja na nossa intolerância, seja apenas por não saber ao certo como se relacionar com os outros. Nos dois casos, um psicólogo pode ajudar bastante a pessoa a começar a ver suas relações com um novo olhar. Mesmo porque não temos como mudar outra pessoa, apenas podemos mudar a nós mesmos... E como mudar algo que não aceitamos sequer perceber que é nosso? Difícil...

Muitas vezes esses conflitos são levados ao extremo, seja pelos envolvidos terem uma competitividade exacerbada, seja por uma das partes (ou ambas!) não conseguir perceber de verdade o outro, como um sujeito com seus próprios valores, seus próprios planos e ideais. Há algum tempo atrás, escrevi o artigo Pessoas que acham que sempre têm razão (clique para ler!), em que detalhamos um pouco mais essas questões de dificuldade na interação social.

No mais, apesar de poder gerar conflitos, nada nos faz crescer tanto quanto os relacionamentos (e o gerenciamento das diferenças). É nos reconhecendo no olhar do outro que podemos amadurecer e nos tornar quem somos; seja pelas afinidades, seja pela percepção respeitosa das diferenças. A vida acontece nas relações.

beijos,
Bia


Para participar da coluna Ágora, envie a sua pergunta para o email bf.carunchio@gmail.com, você também pode participar enviando sua pergunta através da nossa página no Facebook ou do meu perfil pessoal.  Você tem a opção de se identificar ou de se manter como anônimo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário