quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Resgatando a criança interior

Dia 12 de outubro é comemorado o dia das crianças no Brasil. Pensando na data, preparei o artigo de hoje pensando em formas saudáveis para lidar com a nossa criança interior. Sim, a criança que um dia fomos ainda vive dentro da gente. Quando crescemos e deixamos a infância cada vez mais para trás, mesmo que a gente nunca perceba, a criança interior continua lá. Ela quer correr por aí, ter tempo para brincar, tomar um sorvete, passear num dia de sol... mas acima de tudo, a criança interior que o mesmo que ela sempre quis: ser ouvida.

A vida dos adultos é corrida, todo mundo sabe disso. Principalmente nas grandes cidades... Quase sempre são vidas cheias de compromissos, muito trabalho, responsabilidades, pouco tempo de sono e menos ainda para diversões e atividades mais criativas. Quando a criança interior não pode ser ouvida, ela não se conforma. Criança não desiste fácil! Ela vai te fazer ouvir de qualquer jeito, mesmo que para isso precise te machucar ou dar um belo susto! 

A criança interior representa nosso potencial, aquele lado nosso que quer se divertir, que tem a vida toda pela frente e que ainda não está completa, tem nas mãos todas as possibilidades. É a criança interior que nos permite a diversão espontânea com a qual vamos perdendo o contato na vida de gente grande. Nossa criança é quem dá o colorido à nossa forma de perceber a realidade, pois nos leva a agir mais espontaneamente, sem a rigidez ou a seriedade do adulto. Cuidar da nossa criança é cuidar de nós mesmos e dos nossos sonhos e projetos (é a criança que os têm em mãos!). Por isso, hoje separei algumas sugestões para trabalhar com a sua criança interior. Ah, vale lembrar! Quem tiver crianças exteriores (filhos, sobrinhos, priminhos, irmãozinhos...) pode também inclui-las nas atividades, elas costumam gostar bastante!

A criança que você foi ainda existe aí dentro... vamos deixar que
ela saia e venha se divertir um pouco!

1- Resgatando a criança:
Lembre-se de quando era criança. Se quiser pode encontrar aqueles videos antigos ou fotos. Qual era sua brincadeira preferida? O que você mais gostava de fazer? E o prato predileto? O que não gostava, o que mais te deixava triste ou assustado?


2- Fazendo as pazes com sua criança interior:
O que você mais precisava e não teve quando pequeno? Não estamos falando apenas de coisas concretas, mas principalmente daquilo que é abstrato mas faz toda a diferença. Teve o carinho necessário? Teve atenção sincera de seus cuidadores? Teve limites o suficiente para crescer consciente de si e de seus papéis, autoconfiante? Ou será que teve tudo isso em excesso, criando o sentimento de sufoco e a rigidez no comportamento? O que a sua criança interior mais precisa hoje para sorrir? Dê isso a ela, não importa se é um abraço, dizer a alguém sobre como se sente, dormir um pouco mais, aprender a dizer não. Todos os dias faça no mínimo uma coisa que deixe a sua criança interior sorrir e se sentir respeitada e amada.


3- Sugestões para trazer sua criança à tona... Divirta-se!!

- Experimente o novo. Vá a algum lugar onde nunca foi, faça algo que nunca fez, fale com alguém que não conhece, prove novos sabores! Quando somos crianças tudo é novo e diferente, todo momento é uma descoberta, e é essa atitude curiosa e aberta que nos permite mudar nossos conceitos e pontos de vista, quebrando ideias rígidas, preconceitos e inseguranças.

- Faça bolinhas de sabão! As crianças adoram. Coloque água num copo e um pouco de detergente, misture, molhe a pontinha de um canudo e sopre com cuidado para o alto. Deixe a bolinha voar e ser livre. Tente fazer a maior bolinha de sabão do mundo. Assopre dentro da mistura e faça uma bagunça! O importante aqui é a diversão sincera, sem programar, sem horário fixo, acertos ou erros como os adultos costumam fazer. Ah, se sua criança for participar dessa atividade com você, cuidado, água com sabão não é suco e as mais novinhas podem esquecer e tomar ao invés de soprar!

- Organize um pic-nic. Pode ser num parque, bosque, pracinha, na praia... Com certeza existe algum lugar bonito perto da sua casa. Para os dias frios e chuvosos, uma dica que a gente fazia lá em casa: faça o pic-nic dentro de casa (com toalha no chão e todo o resto), por exemplo na sala. Convide os amigos. Levem uma toalha grande para forrar o chão, os comes e bebes, podem levar coisas para a diversão como bola, música, etc.

- Solte pipa. Num local seguro (de preferência não em lages ou telhados) e longe dos fios da rede elétrica. Deixe a pipa viajar pelo céu, aprecie a sensação de leveza, de estar no alto...

- Faça arte. Pode desenhar e pintar com seus lápis de cor e de cera, se tiver pintura a dedo, melhor ainda! Invente colagens com revistas velhas e papéis coloridos. Não precisa ficar lindo, é só diversão e expressão livre. Não estamos num concurso de arte e ninguém vai até a sua casa brigar com você porque porque o gatinho que você desenhou saiu com cara de Papai Noel...

- Seja um "mestre cuca"! Ah, não precisa separar aquele avental especial do cursinho de pratos gourmet ou os ingredientes para pratos muito especiais. Hoje é uma receita especial sim, mas o toque especial será a diversão, por isso, deixe de lado as formalidades. Prepare algo divertido e simples. Brigadeiro de colher, pão de queijo, biscoitinhos que você pode decorar com castanhas e frutas secas, espetinhos de frutas... Solte a imaginação.

- Adivinhe formas de nuvens. Deite-se no chão e relaxe. Gaste algum tempo nesta atividade, se envolva sem medo. O que as nuvens parecem? Olhe suas formas e posições mudarem com o vento.

- Olhe o céu durante a noite e tente reconhecer algumas constelações. Muitas delas têm nomes de personagens e criaturas da mitologia, e pode ser divertido pesquisar quem são e porque estão lá no céu...

- Se possível organize a noite da fogueira (cuidado, crianças!!), fica bem divertido com mais alguns amigos. Vocês podem assar batatas, milhos, jogar conversa fora, tocar tambor...

- Conte uma história. Solte a imaginação, permita-se inventar, permita que a história aparentemente não tenha sentido, apenas deixe a imaginação solta e a criatividade fluindo.

- Crie um jardim. Pode ser no quintal de casa ou, quem não tem espaço, pode fazer isso num vaso ou jardineira, criando um mini jardim. Nem que seja o bom e velho feijãozinho no algodão, mas deixe-se ver e surpreender por uma vida que brota e cresce... deixe-se crescer junto com a plantinha.

- Desligue a luz e faça algumas sombras com uma lanterna ou vela. É ótimo para a imaginação! Com pipoca fica mais gostoso!

- Começou a chover? Hora de correr para fora e se divertir muito!! Nada como brincar na chuva... Ah, não tem chovido muito na região onde você mora? Mangueiras, baldes e bexigas com água resolvem! Ainda está frio? Guarde a ideia para o verão, é bem divertido.

- Leia algo por gosto. De preferência alguma coisa sem relação alguma com a sua área de trabalho ou de estudo. Leia algo novo: uma boa história de ficção, algo sobre música, ou culinária, ou mitos de um povo diferente, ou arte... É muito saudável manter sempre uma leitura paralela de alguma área diferente da que estamos acostumados a ler, pois além de ajudar a relaxar e estimular a criatividade, nosso cérebro cria novas redes de sinapses.

- Brinque com barro ou argila, ou ainda faça um castelo de areia. Esses são materiais regressivos, que nos colocam em contato com as nossas emoções mais profundas.


Não importa quantos anos você tem. Não importa se a infância está tão distante que mais parece ter sido um sonho. Também não importa se ela foi feliz e tranquila ou se foi uma época difícil da sua vida. O que interessa para nós neste momento é resgatar essa criança, esse lado nosso cheio de planos e esperanças. Resgatando nossa criança interior podemos levar uma vida de adulto, mas com a leveza de viver da criança, tornando nossos dias mais agradáveis e equilibrados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário