quinta-feira, 7 de novembro de 2013

10 sinais de que você vive as expectativas dos outros

"Quer você acredite que consiga fazer uma coisa ou não, você está certo." - Henry Ford (1863-1947), empreendedor norte-americano.

Este é um tema sério. Muitas pessoas vivem de acordo com aquilo que os outros esperam delas, ou então conforme aquilo que "todo mundo" diz que seria melhor ao invés de seguir a própria realização. Decidi escrever este artigo no formato de lista porque assim fica mais fácil de todos identificarem onde estão seus enganos e em quais comportamentos precisam mexer para levarem uma vida mais do próprio jeito. Vamos aos sinais!



1- Desvalorizar os próprios talentos
Isso acontece muito. Algumas pessoas têm muita dificuldade de olhar para os seus talentos (não importa quais são, o que importa é que todos temos talentos e algo em que nos destacamos). Ou melhor, a dificuldade está em olhar para os talentos e ver neles as jóias que são. A pessoa criativa que se acha desligada, por exemplo. Ou a pessoa cautelosa que se acha medrosa. Ou a pessoa super focada que se acha obsessiva. Tudo pode ser um talento ou um problema, depende de como olhamos. Por que não começar a olhar para nós com olhos construtivos? 

2- Estar no lugar errado
Como dizem, o peixe será péssimo em subir em árvores, mas um excelente nadador! Basta olhar para as próprias características na perspectiva favorável e se permitir ir para onde ela é valorizada. Muitas pessoas ficam presas a empregos, lugares, cursos e até relacionamentos que sabem que não as fazem sentir realizadas. Tentam se conformar, mas por quanto tempo? Nossas paixões sempre se mostram, por mais que a gente tente esconder. Que tal experimentar dar ouvidos a si mesmo?

3- Idealizar as outras pessoas
Não, seus pais não vão resolver todos os problemas da sua vida. Seus professores não sabem todas as coisas e o seu chefe não é o tempo todo a pessoa que sempre sabe o que fazer. Seu médico, ou psicólogo ou dentista podem cometer erros, por mais cuidadosos que sejam. Seu namorado(a) ou companheiro(a) pode ficar chateado algumas vezes. As pessoas não são perfeitas, elas todas têm faltas. Assim como você. Quando pensamos que somos os únicos a ter falhas, a cometer erros ou a não saber o que fazer, deixamos de acreditar em nós mesmos. O que fazer? Perceber que os outros não são perfeitos e buscar as nossas soluções sem precisar apostar todas as nossas fichas neles! Na forma como os psicólogos dizem, a ideia aqui é buscar autonomia.

4- Ter medo de tentar algo diferente
Existe um homem que admiro muito. O nome dele é Cristóvão Colombo, e digo o porquê da minha simpatia por ele. Contra todas as expectativas, ele lutou pelo que acredita. Provavelmente teve medo, mas confiou em si o suficiente para superar o medo de se lançar ao mar, e mesmo sem grandes verbas, mesmo sendo estrangeiro, mesmo com motins em suas caravelas e com todos os perigos do mar (os reais e os fantasiosos de sua época), ele chegou à América! Na nossa vida, as consequências dos nossos atos e escolhas podem ser desastrosas... mas dificilmente serão tão desastrosas quanto as consequências das escolhas de Colombo poderiam ter sido!

5- Não sonhar
Voltando ao exemplo de cima, a falta de confiança e o medo de tentar algo novo podem levar a algo mais sério: a pessoa que não tem sonhos para o futuro (sim, é mais comum do que se pode pensar). Ou, quando questionadas, se saem com algo vago como "meu sonho é dar certo na vida". Mas dar certo fazendo o que, criatura? No trabalho (qual)? Criando os filhos? No amor? A pessoa se perde nas respostas e fica claro que ela não sonha. O problema disso é que com o tempo, vem a desesperança e, com ela, a depressão. Nessas condições, é muito fácil embarcar nos sonhos dos outros sem nunca questionar se eles de alguma forma nos farão felizes. Muita gente é criada de forma a não valorizar o sonhar, mas hoje se sabe que isso é fundamental, pois os nossos sonhos são as bases da nossa realidade.

6- Não planejar
Tem gente que até sonha, mas não realiza. E isso não tem nada a ver, como alguns dizem, com acomodação ou preguiça. A pessoa até quer e pode até ser esforçada, mas por onde começar? Se o seu sonho é, por exemplo, fazer uma faculdade, não é passando os dias nas redes sociais que ele irá se realizar. Qual a sua estratégia? Em outras palavras, qual o caminho que você segue para chegar onde quer? Quando não temos planejamento, é muito fácil se apegar às expectativas das outras pessoas, porque parece que as nossas são inviáveis, e não são. Liste o que você já tem e o que já está em andamento para chegar ao objetivo. Depois, avalie com cuidado o que falta (recursos físicos, emocionais, tempo, características, documentos, trabalhos, áreas de estudo, contatos...) e estabeleça as prioridades. Assim se planeja, indo atrás de uma pequena meta por vez que, em conjunto levarão à meta maior. 

7- Esquecer o que já fez e deu certo
Sempre que fizer algo e a coisa der certo, guarde a lembrança com carinho. Pode ser aquele grande projeto profissional ou algo muito mais simples, como aprender a andar de bicicleta ou conseguir aquelas férias. Essas são as nossas referências de sucesso, e são elas que nos sustentam perante os desafios da vida. Elas aumentam a nossa autoconfiança e nos permitem acreditar que podemos ir mais longe, independente daquilo que os outros esperam...

8- Tentar ser eficiente demais
Quando eu era criança, costumava ajudar meus pais a carregar aquelas compras de mês para casa. Eu me sentia especial de pensar que podia aguentar tantas coisas, me sentia espertinha de carregar muitas sacolas e caixas e assim fazer poucas viagens de volta para buscar mais compras. Mesmo que me dissessem para ter cuidado ou levar um pouco por vez, eu não ouvia, gostava de me sentir indo além daquilo que eles esperavam de mim. Bom, certa vez, eu tinha uns 8 anos, carregava muitas sacolas e, por uma fatalidade da vida, elas arrebentaram no meio da sala. Uma garrafa de refrigerante estourou no chão, os ovos se espatifaram no tapete, enfim, acho que todos imaginaram a bagunça. Nesse dia, minha mãe me disse uma frase que gosto de lembrar até hoje: "muita eficiência gera ineficiência". Na hora eu nem imaginava o que ela queria dizer, mas com o tempo vi a sabedoria dessas palavras. Não carregue mais sacolas do que você pode levar com segurança. Não assuma mais compromissos e responsabilidades do que pode cumprir tentando corresponder ao que o outro espera. Vale mais dizer um "não" ou dar ao outro um prazo maior do que tentar ser tão eficiente e acabar tropeçando nos próprios pés!

9- Sentimento de ser vítima
Com certeza você já reparou que algumas pessoas tem o hábito de se fazerem de vítima. Esta atitude, quando sem motivos, faz a própria pessoa a se convencer de que é incapaz e nunca chegará a lugar nenhum. Aliás, apenas o costume de se fazer de vítima sem motivos já demonstra que o foco da pessoa está naquilo que os outros esperam dela (e que ela não acha justo), e não em si mesma.

10- Falta de gratidão
Como ser grato a algo ou a alguma situação que nunca quisemos? É muito difícil. Quando vivemos as expectativas de outras pessoas, a falta de gratidão é um ponto marcante. Não nos colocamos como heróis da nossa história, mas como coadjuvante da história do outro! Não quero dizer que a pessoa seja uma ingrata, ela apenas não vive conforme aquilo que valoriza e acredita. A liberdade está em seguir o próprio coração, especialmente em poder olhar para si, para o mundo e para a vida com um olhar que faça sentido para nós. E para isso, nosso foco precisa ser o nosso próprio sonho, nós mesmos precisamos ocupar o lugar de destaque da nossa história. Aí a gratidão é algo natural e a paz interior se mantém, pois aquilo que fazemos da nossa vida está em nossas mãos! Mesmo que nem sempre as coisas saiam como esperamos, sabemos que a escolha foi nossa e podemos ser gratos por termos tido a oportunidade de fazê-la.

5 comentários:

  1. Esse texto me caiu na hora certa, em um momento difícil.
    Me motivou a ser um pouco mais "orgulhoso" e menos preocupado em arriscar.
    Obrigado :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom! A melhor coisa que a gente faz é seguir aquilo que nos faz sentir bem com a gente mesmo, afinal, só você pode viver a sua vida.
      beijo

      Excluir
  2. Respostas
    1. Ótimo passo, Érico! Agora que tomou consciência disso, é começar a manter o foco em você! Não deixe de buscar ajuda caso sinta que precise.
      beijo

      Excluir