sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Ágora - Doenças psicossomáticas

Bia, outro dia fui na minha médica porque estou com umas alergias na pele e ela me falou que tem muita chance de ser uma doença psicossomática. Não sei bem o que é isso, li na internet mas não entendi muito bem. Você pode explicar? É grave? Valeu!
Igor C. -  São Sebastião, SP


Olá, Igor!

As doenças psicossomáticas surgem sempre que não damos atenção a algum conteúdo da nossa psique (geralmente uma emoção). Nosso inconsciente precisa vir à tona e se mostrar para nós. Ele procura fazer isso, de início, das formas que causam menos desconforto para nós, por exemplo, sonhos, fantasias, intuições... Se não damos ouvidos a ele, o inconsciente insiste! Começam então os sonhos mais intensos e até assustadores, as "coincidências" que acontecem normalmente começam a ficar mais bizarras, e podem surgir as doenças psicossomáticas. Elas são a manifestação do nosso inconsciente através do corpo, de uma forma que não poderemos mais deixar de ouvir.

Mas como as doenças psicossomáticas se manifestam? Varia muito. É raro que surja uma doença muito grave logo de início, quase sempre é aquela dorzinha de cabeça, um pequeno acidente como uma queda sem grandes consequências ou um corte no dedo, um enjoo, pode acontecer uma alergia leve ou uma queda nas defesas do nosso corpo que nos faz ficar mais propensos a pegar uma gripe ou virose. Se mesmo assim não damos ouvidos ao inconsciente (compreendendo o simbolismo dos nossos sintomas), os sintomas podem se tornar mais sérios, causando doenças cada vez mais graves.

Algumas pessoas pensam "ah, é emocional?? Então é frescura!" Bem, não é por aí. Os sintomas são reais. Se o paciente fizer exames, os sintomas vão aparecer. A dor é real, a febre é real. Sua alergia é real, Igor. Mas o que motivou seu início foram as emoções. Algumas vezes é difícil demais lidar com certas situações na vida. Se não fazemos nada a respeito, se não buscamos ajuda, seja pelo motivo que for, adoecemos. Toda doença é uma forma que a nossa psique encontrou de lidar com algo difícil, fez isso da forma mais concreta possível, no corpo. Quando superamos a doença, saímos dela transformados, mesmo que seja apenas uma febrezinha ou um resfriado. Superamos o problema (ou parte dele) de uma forma simbólica.

Nossos sintomas são simbólicos. Eles contam uma história: a nossa história. Cada parte do corpo, cada órgão, glândula ou tecido tem a sua própria simbologia, os seus significados. Claro que eles não são estanques, a história clínica e a história de vida do paciente, assim como seu momento emocional, o contexto que está vivendo, planos e diversos outros fatores ajudam muito nessa compreensão. No seu caso, Igor, a pele é a fronteira do corpo, os limites entre a pessoa e o mundo externo. Alergias mostram alguma dificuldade nesse equilíbrio. Pode ser, por exemplo, por você se sentir invadido por alguém ou alguma situação, ou mesmo uma dificuldade geral de dizer "não" e colocar os seus limites.

Uma ótima forma de prevenir doenças psicossomáticas é ficar em dia com o inconsciente, através da reflexão e do autoconhecimento. Por exemplo, dando atenção aos seus sonhos, medos, desejos, suprindo suas necessidades... Olhar para si e ocupar-se de si, para que não seja preciso preocupar-se depois.

Aproveite as chances de transformação que seus sintomas te deram. Melhoras para você.
beijo,
Bia

Nenhum comentário:

Postar um comentário