sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Ágora - Acreditar em Papai Noel é bom para a criança?

Bia, antes de tudo quero te desejar um feliz Natal, cheio das bênçãos de Deus para você e sua família. Minha pergunta é sobre Natal. Tenho um filho de 5 anos, o nome dele é Enzo. O problema é que esses dias a gente estava indo no supermercado e já está tudo preparado pras festas e ele viu um cartaz com o papai Noel numa loja. O Enzo adora Natal! Ele ficou muito animado com o cartaz, apontava e gritava todo feliz que colocaram a foto do papai noel lá mas ele sabe que os brinquedos vem do Polo Norte, não das lojas normais! As pessoas que passavam sorriram, mas eu fiquei pensando se ainda está tudo bem pra um menino da idade dele acreditar em Papai Noel. Ele já tem 5 anos, é inteligente e bem esperto, por isso não entendo como que ele acredita nessas coisas. Devo deixar ele acreditar mais um pouco ou conto pra ele que papai noel não existe? Até que idade é normal acreditar nessas coisas? Muito obrigada e outra vez, boas festas! 
Ana Paula G. D. - Goiania, GO


Oi, Ana Paula!

Que lindo o seu filho, impossível não sorrir com o seu email! Não tem nada de errado com ele e sim, é normal que crianças de cinco anos ainda acreditem em personagens de fantasia. Nessa fase da vida, até mais ou menos os sete anos, a criança não separa muito bem o que é real do que é imaginação. Na cabecinha dela, é como se tudo fosse uma coisa só! Não, não acho que precisa falar para uma criança tão nova que Papai Noel não existe. Permita que ele viva essa fase de fantasia. Passar bem e viver tranquilo essa fase, é importante para que o Enzo passe bem pelas fases seguintes e tenha um bom desenvolvimento emocional.

Acreditar é uma capacidade importante e devemos deixar que a criança desenvolva isso bem. O potencial para acreditar (seja no que for) é o que sustenta a nossa capacidade de ter fé. Não falo apenas sobre a fé religiosa, mas também (e principalmente) sobre a fé no futuro, sobre a capacidade de ter esperanças e de acreditar que a vida pode ser boa e que conseguimos uma boa colheita quando plantamos e cuidamos. Por isso, a idade certa para deixar de acreditar em Papai Noel é quando a criança por si só chegar à conclusão de que folclore é folclore, e realidade é realidade. Neste momento, o emocional da criança estará pronto para deixar de acreditar em fantasias e passar a ter crenças um pouco mais maduras.

Portanto, a nossa capacidade de acreditar e de ter fé não tem nada a ver com inteligência ou esperteza, mas sim com o nosso emocional. Assim, a fé é mais madura ou mais imatura dependendo da fase da vida em que estamos, e dependendo também do nosso amadurecimento emocional. Isso quer dizer que um adulto com mais de 50 anos, mesmo que tenha boa inteligência, bom senso crítico, seja bem sucedido e tudo o mais, se for emocionalmente imaturo, pode ter a fé infantilizada, com crenças rígidas, fanatismo e pensamento de causa-consequência (que não considera a influência de outros elementos em um fenômeno). Repito, essas características de fé um pouco mais rígida são comuns na criança e é preciso atravessar essa fase vivendo-a plenamente para que venha a próxima, não há motivo para preocupação.

No entanto, é nosso dever enquanto adultos e cuidadores fazer que as crianças atravessem com tranquilidade essa fase de suas vidas. E é bem simples fazer isso: deixe um pouquinho de lado o pensamento mais lógico dos adultos e desça ao nível da criança. Brinque. Não é organizar a brincadeira ou ficar mandando, é se divertir junto com o Enzo. Preparem-se para o Natal. Conversem sobre por onde o Papai Noel deve estar passando com o trenó naquela hora, vejam filmes e desenhos animados sobre o Natal, leiam livrinhos de lendas natalinas. Cultive a fantasia. Preparem a casa para o Natal juntos, façam desse momento (e dessa fase da vida do Enzo) algo gostoso para se lembrar sempre com carinho. Quando a fase é bem vivida, sem ser acelerada e sem pressões desnecessárias, a criança pode andar no ritmo dela, e superar essa fase quando estiver realmente pronta para a próxima, evitando assim que haja questões não resolvidas nesta fase, o que bloquearia as próximas.

Não existe uma idade limite para acreditar em Papai Noel ou outras histórias de fantasia. Cada criança tem o seu tempo e o seu ritmo, e é fundamental respeitar esse tempo delas. Porque além desse desenvolvimento emocional do qual comentei, o respeito a ajuda a se sentir adequada e aceita, confiante para ser quem realmente é.

Boas festas para vocês!
beijos para você e para o Enzo.
Bia

Para participar da coluna Ágora, envie a sua pergunta para o email bf.carunchio@gmail.com, você também pode participar enviando sua pergunta através da nossa página no Facebook ou do meu perfil pessoal.  Você tem a opção de se identificar ou de se manter como anônimo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário