sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Ágora - Depressão de final de ano

Eu queria entender porque nessa epoca de festas tantas pessoas ficam deprimidas. Isso quer dizer que essas pessoas tem depressão?
Eunice N. - São Paulo


Bom dia, Eunice!

Muito boa a sua questão. Nesta época de festas de final de ano acontece mesmo um aumento das crises depressivas e também das tentativas de suicídio. Muitas dessas pessoas têm depressão mesmo, o que coloca os psicólogos e outros profissionais de saúde mental em alerta. No entanto, nem sempre a pessoa tem depressão. É normal a pessoa ter, em certos momentos da vida, fases depressivas ou ansiosas sem que isso signifique que ela tem um transtorno mental, pois a depressão entendida pelos profissionais segue critérios diferentes para o diagnóstico, não é a mesma depressão que se popularizou na boca do povo. Fulano está deprimido. Quase sempre, aos olhos do profissional, Fulano está apenas triste ou chateado com uma situação. Sentir é normal, o ser humano é um ser que sente. O que não é normal é sentir tristeza, raiva, desespero o tempo todo.

De todo jeito, vamos voltar ao tema. Por que tantas pessoas se sentem assim durante as festas de final de ano? Bom, este é um caso interessante, pois é um fenômeno quase que puramente cultural. Digo isso porque é a nossa cultura ocidental/judaico-cristã que pinta este momento como uma época de união, fraternidade, harmonia, etc. No entanto, como todos imaginam, nem todas as pessoas olham para suas vidas e de fato encontram motivos para ter este tipo de sentimento. Alguns têm histórias difíceis, associadas ou não às festas de fim de ano. Outros se deparam com a solidão, vivemos uma época em que se preza ter mil contatos, mas quantos desses são relações que nos levam a ter laços mais profundos e duradouros? Outras pessoas, ainda, ao olharem para suas vidas, simplesmente não enxergam uma solução satisfatória para seus problemas e desafios, o que as leva a sentir uma grande impotência, tristeza e até raiva devido à frustração. A depressão (ou os estados depressivos) acontecem quando a distância entre a vida real e a vida sonhada é grande demais. A pessoa não consegue perceber nesse vazio a vida possível. O depressivo caminha na contramão do sentido que esperava que sua vida tivesse, e com isso se vê cada vez mais distante de sua realização (pessoal, profissional, etc.). E aí fica muito difícil estar contente num momento em que parece que todos falam de bons sentimentos e de grandes transformações no ano novo quando, por mais que a pessoa se esforce, ela pouco encontra de agradável em sua vida, não percebe as soluções.

Independente de ter um diagnóstico de depressão (que não dura apenas nestas semanas) ou deste ser um sentimento momentâneo que desaparece em janeiro, o sentimento depressivo (na época que for) indica uma grande insatisfação com algo em nossa vida. E antes que a coisa fique mais grave, é importante investigar isso direitinho, percebendo o que exatamente não vai muito bem na nossa vida. E aí, fazer os ajustes necessários, dar os passos a que tanto resistimos, enfim, aproveitar o clima e transformar para melhor tudo aquilo que não está muito legal. A vida é nossa para sermos felizes, merecemos estar nela!

Feliz 2014 para todos! Vamos aproveitar o clima de transformação e fazer acontecer!
beijos,
Bia


Para participar da coluna Ágora, envie a sua pergunta para o email bf.carunchio@gmail.com, você também pode participar enviando sua pergunta através da nossa página no Facebook ou do meu perfil pessoal.  Você tem a opção de se identificar ou de se manter como anônimo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário