sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Ágora - Por que preciso ajudar todo mundo?

Bia! a pergunta é: porque eu tenho essa necessidade de querer ajudar todo mundo? Tipo: vejo uma confusão, lá vou eu tentar amenizar...... ou, tá rolando um preconceito .... eu vou lá tentar acabar com isso. Tipo, é uma necessidade, senão eu durmo mal MAUHAUAH!!!! Ainda mais quando vejo haters! detesto essa mania imbecil de bruxinho odiar cristão pq lá atrás aconteceu isso e aquilo. Mano, isso já foi! Fala-se tanto de perdão e não vejo fazerem isso!!!!! Cara, a igreja matou mesmo na época, estavam na era da conquista, todos os povos ja fizeram isso. Vikings por exemplo. Pagão adora viking mas odeia cristão, e pelo mesmo motivo!!!!!!!!!! Vikings devastavam as terras dos outros para colocar o q era deles, os cristãos e outros povos fizeram o MESMO.
Raquel M. - Santos, SP

Oi, Raquel!
Consigo perceber dois temas na sua questão. O primeiro é a "necessidade" de ajudar a todos. E o segundo seria o ódio entre pessoas de diferentes religiões ou caminhos espirituais. E como achei as duas relevantes e interessantes, vamos falar sobre as duas!!
Sobre precisar ajudar, existem diversas possibilidades, e apenas você poderá saber de verdade qual delas é o seu caso. Uma possibilidade é quando a própria pessoa pede ajuda, ou uma opinião. Nesses casos, muitas vezes quem pediu ajuda, na realidade não queria algo sincero, mas sim que alguém "passe a mão na cabeça", que dissesse que ele está certo e todos os outros errados. E como, em geral, não fazemos exatamente isso, o ajudado se revolta contra nós. Se for este o seu caso, vale a pena avaliar o motivo desta necessidade (ajudar quando pedido, mesmo sabendo que a pessoa vai ficar chateada com a sinceridade e vai sobrar para nós!). Muitas vezes, o que está por detrás desse comportamento é um grande desejo de ser vista pelos demais como uma pessoa útil, eficiente, que se preocupa com todos, e com isso, ser aceita e ter sempre o seu lugar no grupo. Em geral, essas necessidades não são conscientes e, mesmo que sejamos aceitos e queridos a ponto de não termos de nos preocupar com isso, a origem do comportamento pode estar no início da infância, fase em que o sentimento de aceitação é muito importante. Outro ponto, é o sentimento de empatia. Algumas pessoas que se percebem "obrigadas a ajudar" têm uma grande capacidade empática, isto é, de se colocar no lugar do outro e compreender a situação pelos olhos dele.
Outro caso, bem diferente, é o da pessoa que, seja pelo motivo que for, se sente na obrigação de ajudar até quem nunca pediu ajuda. Aliás, existem pessoas que acham que precisam ajudar até mesmo quem nem sequer sabe que "precisa" ser ajudado! Se o caso for este, provavelmente a pessoa que quer ajudar é quem precisa de ajuda e não percebe. Precisa ser vista, mas que seja por olhos cuidadosos e carinhosos, que venham notar a sua necessidade de crescimento e possa conduzi-la de forma amorosa, fortalecendo a confiança que ela tem em si mesma de maneira que ela possa expor aquilo que pensa ou sente com segurança, sem a necessidade de apontar os problemas dos outros para isso.
Independente do motivo por trás da necessidade de ajudar a todos, percebo que é interessante pensar em si mesma e procurar, antes, se ajudar. Quando a gente se depara com o problema de outra pessoa, é muito legal pensar se já passamos por algo do tipo, o que faríamos ou fizemos. Toda característica, quando excessiva, se torna um problema. A pessoa muito altruísta, muitas vezes nem sequer percebe suas necessidades mais básicas, e isso não é bom, pois tira o ser do seu equilíbrio. Vivemos num mundo meio estranho, pois o egoísmo impera mas, ao mesmo tempo, incentivam um altruísmo que, muitas vezes, vai além do saudável (deixar de cuidar de si em pontos importantes para cuidar de outro que, supostamente, precisaria mais... será?).
Quanto à segunda parte da questão, acho ótimo que se coloque em discussão as religiões, filosofias de vida, caminhos espirituais ou como prefiram chamar. Esse tipo de debate, quando feito de forma respeitosa e sem fanatismos, pode levar a um grande crescimento. Muitos dos nossos valores estão claros na filosofia que seguimos, e refletir sobre eles sempre ajuda a transformar o que for necessário ou então a firmar aquilo que realmente faz sentido para nós.
Mas muitas pessoas são dogmáticas ao ponto de não aceitar que os outros pensam diferente. Apenas o ponto de vista deles está correto e passam a professar um ódio, ainda que disfarçado, por quem pensa ou vive de outro jeito. Pessoas assim geralmente têm um ego muito frágil, por isso precisa se afirmar o tempo inteiro. E como não tem muitos recursos internos (autoconfiança, boa argumentação, senso crítico, etc.), fazem isso diminuindo e atacando quem lhes parece ameaçador, seja essa ameaça sentida como o "deixar de existir" (ataque), seja apenas pela pessoa/grupo atacado ocupar uma posição de destaque, que a pessoa de ego frágil (o "hater") sabe lá no fundo que quer mas não está pronto para assumir.

Espero ter contribuído com a discussão.

beijos,
Bia



Para participar da coluna Ágora, envie a sua pergunta para o email bf.carunchio@gmail.com, você também pode participar enviando sua pergunta através da nossa página no Facebook ou do meu perfil pessoal.  Você tem a opção de se identificar ou de se manter como anônimo.

2 comentários:

  1. Ajudar os outros faz muito bem a nós mesmo, pois estamos seguindo aquilo que Jesus nos ensinou amar o próximo, enquando eu viver aqui no mundo quero sempre ajudar no que eu poder, Bia passando pra desejar um ótimo final de semana beijos.
    http://www.lucimarestreladamanha.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ajudar é mesmo muito bom, desde que a pessoa não desrespeite a si mesma na ajuda, se colocando em situações em que o outro, na realidade, não quer ser ajudado e acaba se voltando contra quem se dispôs a fazer um bem. Fora essas situações, concordo com você, ajudar a quem precisa nos faz melhores.
      Lindo final de semana pra você também, Lucimar! beijos

      Excluir