quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Quais são os obstáculos do seu caminho?

"Perante um obstáculo, a linha mais próxima entre dois pontos pode ser a curva." - Bertold Brecht (1898-1956), dramaturgo alemão

Nosso caminho de vida nem sempre é aquela estrada reta, livre e com o asfalto tão liso que parece até um tapete. Algumas vezes o caminho de todos nós tem trechos mais difíceis, curvas perigosas, bifurcações, trechos de neblina ou mal sinalizados, buracos... Como ultrapassar essas etapas?

Antes de saber como, precisamos saber "o que". Conheça os obstáculos do seu caminho. Para isso, é importante a gente saber quais são as nossas maiores dificuldades frente a alguma meta (seja uma meta grandiosa ou mais simples, algo da vida profissional, familiar, pessoal, etc.). Para algumas pessoas, o mais difícil é ter foco e não se distrair. Para outras, o difícil é se dar um tempo, se permitir uns minutinhos de respiro. Para outras essa questão de foco e ritmo está bem, mas sentem dificuldade quando precisam lidar com pessoas ou demonstrar suas habilidades sociais. Outras, apesar de populares e carismáticas, focadas e com bom ritmo, desanimam e largam tudo pela metade no primeiro contratempo. Qual é a sua dificuldade?

Quem foi que disse que a maneira convencional é a única válida para superar as dificuldades?
Muitos problemas podem ter mais de uma solução válida!

Para algumas pessoas este é um assunto muito dolorido. Quando pensamos naquilo que não conseguimos, muitas vezes temos a impressão de que é um grande "defeito" nosso, um problemão, ou de que nunca vamos conseguir dar certo. Mas não é nada disso! A gente só pode superar as nossas dificuldades quando vai além dos limites. Por isso, é fundamental conhecê-los bem, pois é isso que nos ajudará a criar planos e estratégias de ação.

Muitas vezes, percebemos que as nossas dificuldades são justamente o contrário dos nossos pontos mais fortes. A pessoa super atenta e cumpridora de prazos, que tem dificuldade em soltar a imaginação e a criatividade. Ou a pessoa muito carismática e com ótimas habilidades sociais, mas que tem dificuldade em sentar-se e produzir algo mais focado e racional. O que quero dizer é que cada um tem suas características e seu jeito de ser, sem que um jeito seja melhor ou mais adequado do que outro. Entretanto, quando identificamos e suprimos a nossas maiores dificuldades, podemos melhorar muito a nossa eficiência e a busca pelas nossas metas.

Mas como suprir essas dificuldades? Depende muito de qual é a dificuldade e como preferimos lidar com elas. Se a sua dificuldade é com prazos, horários e uma atitude mais focada, muitas vezes uma agenda ou uma simples lista de tarefas podem ajudar muito. Se a dificuldade é lidar com as pessoas, pode começar dizendo "bom dia" a todos que encontrar pelo seu caminho, você logo terá uma rede de conhecidos simpáticos a você, com quem poderá começar a desenvolver suas habilidades sociais. Se o problema é colocar a mão na massa, criar (e se forçar a seguir) uma rotina funcional pode trazer grandes mudanças. Enfim, atitudes simples e práticas podem fazer uma grande diferença na hora de lidar com as dificuldades.

Para terminar, um aviso. Dificilmente a nossa maior dificuldade se torna o nosso ponto forte. O que precisamos fazer é supri-las e, ao mesmo tempo, trabalhar as nossas metas de forma que nossos pontos mais fortes (sejam eles quais forem - todo mundo tem os seus!) sejam valorizados e ganhem o papel de destaque nessa busca. Não desdenhe dos seus pontos fortes. Eles são seus maiores tesouros e, se pensados estrategicamente, podem ser de grande ajuda ao lidar com as dificuldades.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário