sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Ágora - O início da vida escolar: ideias para crianças e famílias

Oi Bia, meu filho tem 6 anos e vai pra escola pela primeira vez, eu estou um pouco nervosa, é uma transição bem complicada pra mim porque eu sou muito apegada a ele e ele nunca frequentou escolinha nem creche. O meu bebê cresceu, e agora?? Como lidar com tudo isso?? Penso se ele vai se adaptar bem na escola ou se vai ser difícil pra ele tambem. Obrigado pela atenção. Se achar interessante pode postar na sua página, mas sem meu nome, por favor. É difícil admitir que se tem uma "aflição" por algo tão simples e comum. Só estou falando isso com vc.
Anônima


Olá, Anônima!

Agradeço muito pela confiança. Preciso começar dizendo que não há nada de errado em se sentir aflita quando a criança vai iniciar a vida escolar, não importa se aos 6 anos, aos 3 anos ou com poucos meses de vida. As famílias nem sempre admitem, mas quase sempre se preocupam, e não a toa. Na maioria dos casos, o início da vida escolar (seja no Ensino Fundamental, escolinha ou creche) é a primeira grande separação entre a mãe e a criança desde o momento do parto. É bem diferente daqueles momentos em que a família deixa a criança uma tarde na casa da avó, de uma tia ou vizinha de confiança enquanto os pais têm algum compromisso, pois a escola não será algo de ocasião, será todos os dias, por toda a infância e adolescência do filho.

Momentos de passagem sempre nos deixam apreensivos, pois nos obrigam a encarar o novo, o desconhecido. Dó deixar o conhecido para trás, mesmo quando o novo parece legal. Dói deixar de ser mãe de um menininho pequeno e passar a ser mãe de uma criança maiorzinha, não temos ideia de como isso será, de como será o nosso novo papel, de como a criança vai encarar tudo. Frente a esses momentos de passagem, os povos mais antigos davam conta da insegurança que surge preenchendo os momentos de transição com ritos de passagem. E isso não é coisa de gente primitiva, longe disso! Olhando com cuidado, nossa vida é cheia de momentos de passagem, e o início da vida escolar é um deles. É preciso permitir que a "mãe do bebê" e a "criança pequena" fiquem para trás para que a "mãe da criança mais velha" e o "garotinho que frequenta a escola" possam assumir daqui em diante. Não permitir essa mudança e se apegar aos antigos papeis é o que causa boa parte dos conflitos emocionais, familiares e mesmo escolares/de aprendizagem. Por isso, separei algumas sugestões para adultos e crianças passarem por esse momento de forma mais tranquila.

- O ideal é conversar com a criança com certa antecedência. Contar que ele está mais crescidinho e que logo começará a frequentar a escola. Contar que escola é um lugar onde todas as crianças vão para aprender coisas novas, fazer amigos, para ter um futuro digno.

- Cuidado com o que fala! A criança pequena conhece o mundo através do olhar e das palavras dos adultos. Por isso, é importante que as famílias evitem dizer coisas como "escola é chato, mas tem que ir e acabou! Fazer o que?" Dizer coisas assim já bloqueia o interesse da criança pela escola e pelos estudos, antes mesmo deles começarem! Por que fazer a criança se sentir castigada quando podemos fazê-la se sentir premiada? Escola é legal sim. Pode ser legal se a gente der esse olhar, e num primeiro momento isso depende mais de nós, adultos, do que da criança.

- Se for possível, o ideal é levar a criança para conhecer a escola antes das aulas começarem. Se possível, agende um horário próximo da hora do recreio, quando a criança poderá ver os futuros coleguinhas brincando e fazendo coisas divertidas, o que lhe dará uma primeira impressão agradável.

- Envolvam-se! Façam os preparativos! Vão juntos escolher a mochila e organizar o material escolar. Comente como aqueles materiais parecem interessantes e como ele vai ficar mais esperto ao escrever naqueles cadernos, pintar com os lápis de cor e ler aqueles livros! Ajuda a criança a se preparar, e também a família a compreender (emocionalmente) a passagem.

- Acompanhe-o até o portão no primeiro dia. Dê um abraço apertado e um beijo, deseje boa sorte e diga a ele para se divertir bastante. Aprender é diversão. Mas atenção, adultos! É normal ficar preocupado, mas não demonstre isso! A criança percebe e tende a ficar preocupada e ansiosa também. Procure dizer algo descontraído, que quebre o gelo da situação e de que ele se lembrara, como "entra e arrasa", ou algo assim.

-Famílias: não chorem. Algumas vezes é a criança que consola os pais no portão da escola. Tentem não deixar isso acontecer na frente da criança. Esteja lá para ele e assuma a postura de que a nova situação é algo fantástico e que vocês estão super animados!

- Algumas crianças choram no primeiro dia, principalmente as mais novinhas. Uma coisa que ajuda a prevenir isso é dizer (antes deste momento, por favor...) em diversas ocasiões como será o dia a dia na escola: ele chega, diz tchau pra mamãe e entra sozinho, brinca com os coleguinhas, vai para a sala de aula, aprende coisas novas, vai para o recreio tomar um lanchinho e brincar mais um pouco, volta para a sala de aula e logo a mamãe volta para buscá-lo e ir para casa. A mamãe sempre volta no final do dia/na hora do almoço (marque o tempo com algo que a criança entende, evitando termos como o horário ou a hora da saída, que ela ainda não sabe ao certo quando é). Se mesmo assim ele chorar, acolha e acalme-o um pouco. Contar que toda criança vai para a escola e que, quando os pais eram da idade dele também iam, ajuda. Mesmo que demore, ir para casa e tentar outro dia não é uma opção. Escola não é uma escolha: toda criança vai.

- Para a família: especialmente no caso de pais que passavam o dia todo com a criança até então, é interessante pensar em algo para suprir as horas que passarão sem os pequenos. Alguns pais se empolgam tanto que resolvem voltar a estudar também, tentar um novo curso... Outros arrumam um horário mais sossegado para colocar as leituras em dia, fazer caminhada ou ginástica, meditar... O início da vida escolar do seu filho é uma coisa muito boa. Por isso, também os adultos, foquem em algo bom, em algo de positivo que o novo ciclo lhes trará.

- Adultos, sejam participativos! A criança entrar para a escola não significa que o papel dos pais termina aí... longe disso! Sejam pais presentes e companheiros. Mostrem interesse em saber como foi o dia na escola, o que ele gosta mais ou gosta menos, se tem amiguinhos, se tem alguma dificuldade. Encoraje-o a perguntar sempre que tiver dúvidas, a fazer as tarefas, a ir além... A educação não pode se limitar a escola. Frequentem museus e bibliotecas ou livrarias, deem o exemplo lendo e estudando também. Lembrando que ser uma família participativa não é fazer as tarefas no lugar da criança, e sim permitir que ela cresça e se desenvolva, estando lá sempre que precisarem, e ao mesmo tempo permitindo que se organizem e aprendam a gerenciar as próprias rotinas desde bem cedo.

- Marquem a passagem. Não deixe um momento tão especial na vida da criança e da família passar em branco. Pode ser algo como convidar a família toda para almoçar em casa no domingo depois da primeira semana de aula, para que a criança conte a todos como está sendo essa nova etapa e para que se sinta querida e acolhida... ou pode ser algo simples, como ir tomar um sorvete e brincar no parquinho depois do primeiro dia, ou ao fim da primeira semana.

Ótimo início de ano letivo para todos!
beijos
Bia


Para participar da coluna Ágora, envie a sua pergunta para o email bf.carunchio@gmail.com, você também pode participar enviando sua pergunta através da nossa página no Facebook ou do meu perfil pessoal.  Você tem a opção de se identificar ou de se manter como anônimo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário