quinta-feira, 20 de março de 2014

Planejamento: transformando o sonho em meta

"Só o que sonhamos é o que verdadeiramente somos, porque o mais, por estar realizado, pertence ao mundo e a toda a gente." - Fernando Pessoa (1888 - 1935), escritor e poeta português.


Nenhum sonho se torna real a partir do nada. Todo mundo já ouviu e eu repito: é preciso dedicação, esforço e trabalho. Mas é preciso, também, ter foco, e nada é possível sem uma boa estratégia. O que isso significa? Que é inviável atirar para todos os lados! É preciso ser como um arqueiro, saber qual é o alvo, mirar e ir até ele. Pensando nisso, separei uma técnica de planejamento. Ela pode ser usada para qualquer tipo de plano que você precise organizar: um projeto profissional, uma viagem, uma festa, um roteiro de estudos... Vamos começar!

Primeiro passo:
Antes de planejar, é preciso saber qual é o seu objetivo. O que, exatamente, você pretende? Defina isso sem rodeios e sem meias palavras. Quanto mais claro e resumido for o objetivo, melhor. Exemplos: viajar para Salvador nas férias; organizar um roteiro de estudos das disciplinas de exatas para o vestibular; organizar um evento de integração dos novos colaboradores; abrir o meu próprio negócio (o que exatamente?); publicar um livro; começar um blog; e por aí vai. Bem curtinho e resumido desse jeito mesmo, em uma frase.


Agora sim, a técnica...

Pegue papel e caneta. Com a folha de papel na horizontal, dobre-a ou risque-a de modo a criar três colunas.

  • Coluna 1 - O que eu já tenho/fiz/sou. - Aqui entra tudo o que for relevante para o objetivo, desde que você já tenha isso ou essa habilidade. Exemplos: cursos, certificados, idiomas que fala, decoração a ser usada na festa ou evento, local, dinheiro, contatos, passaporte em dia no caso de viagens, tempo para dedicar ao projeto...

  • Coluna 2 -  O que falta. - Outra vez, de forma ampla, todos os elementos (habilidades a desenvolver, documentos a providenciar, contatos a fazer, etc.) que serão necessários e que ainda não temos. Exemplo, no caso de uma viagem, talvez eu fale a língua do local e meu passaporte esteja em dia. Mas talvez eu precise de mais algum dinheiro ou reservar hotéis e comprar passagens. No caso de um evento, talvez eu tenha a decoração, as comidas e bebidas, as flores, mas precise encontrar um bom local e alguém responsável pela música.

  • Coluna 3 - Estabelecer prioridades - É preciso pensar o objetivo como um todo, e as listas das outras duas colunas podem nos ajudar a fazer isso. Aqui, cada um dos elementos que nos faltam para chegar à nossa meta se torna um novo alvo a ser alcançado. Por exemplo, talvez a meta seja publicar um livro. Talvez a pessoa já tenha tudo escrito, tenha quem revise e bons contatos. Supondo que falte apenas a publicação em si, vamos criar prioridades! Ligar ou escrever para os contatos contando sobre o projeto e negociando o interesse por parte da editora. Escrever uma boa carta de apresentação. Enviar os manuscritos conforme acertado. Já no exemplo do evento em que nos faltava o local e a pessoa a cuidar da música, temos duas frentes de ação. O que é mais fundamental para que o evento aconteça, o local ou a música? Mais coerente ter o local primeiro, mesmo para que o DJ ou o músico leve a nossa proposta a sério... Aí cabe checar as opções, marcar visitas para conhecer os locais, combinar valores e horários... E depois sim contatar o responsável pela música e fazer uma proposta.

Gosto bastante dessa técnica, pois como já comentei outras vezes, aquilo que está escrito "sai" do plano mental e se torna algo concreto e observável, algo que todos podem ver e ajudar, especialmente se a meta em questão for buscada por uma equipe. Mais do que isso, ao ser colocado na realidade (mesmo que no papel, a princípio), o plano passa a ser algo sobre o qual podemos agir de maneira estratégica. Diminuímos a influência do "acaso", quando podemos agir sobre algo, atingir a meta deixa de ser algo aleatório e passa a ser o sentido para o qual (e pelo qual) caminhamos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário