sexta-feira, 16 de maio de 2014

Ágora - Gastrite e psicossomática

Eu to com um problema de saúde e queria saber a sua opinião, confesso que to um pouco perdido. Sempre tive muitos problemas de estômago e já andava com algum remedio na carteira pro caso de alguma emergência. Faz um tempo que esses remédios pararam de me ajudar e resolvi marcar uma consulta com um gastro. Ele me disse que to com gastrite, passou uma lista imensa de alimentos que eu amo e não posso mais comer, alguns outros remédios e me mandou procurar um psicólogo. Eu queria entender pra que isso antes de gastar mais dinheiro em mais um profissional. O que o psicólogo poderia fazer num caso como o meu, porque sem querer ofender mas não vejo nenhuma relação entre meu estômago e minha mente.
Luís – Vitória, ES


Bom dia, Luís!

Variando a parte do corpo doente, essa é a pergunta de muitas pessoas. Por que uma doença do corpo poderia ser tratada em parceria com o psicólogo? Explico: algumas doenças não são apenas físicas. Muitas delas se formam numa combinação entre fatores físicos internos e externos (como a nossa predisposição genética, a nossa alimentação, os hábitos que mantemos) e fatores psicológicos, como as nossas emoções e a forma como lidamos com elas, nossos desejos, pensamentos, medos...

O corpo pode sofrer influências da mente. Uma experiência simples que acredito que vocês já tenham feito (ou poderão fazer agora!): pense na lembrança mais triste que você tem, não importa qual seja. Mantenha essa lembrança e vivencie toda a emoção que ela carrega. Em algum tempo, você poderá perceber que sua expressão facial mudou, a temperatura corporal pode ter caído um pouco e talvez você tenha vontade de chorar. Sim, dá certo com outras emoções. Experimente uma lembrança muito feliz, para mudar o clima. Inclusive, funciona com estados emocionais que nem mesmo são nossos ou nem mesmo são reais: podemos ter essas reações no corpo ao lembrar de uma situação vivida por alguém que conhecemos, pela personagem de um filme, etc.

Explicando de forma bem simples, este é o princípio da psicossomática, o corpo pode reagir (inclusive com sintomas) aos nossos estados psíquicos. A questão não é sentir tristeza, ou ansiedade ou raiva ou o que for. A questão é como a pessoa irá lidar com as emoções. Elas precisam sair de alguma forma, se não permitimos, se transformam em sintomas. Mesmo emoções que dizem ser positivas, quando enterradas fundo dentro de nós podem causar problemas. Emoções existem para serem vividas, quando não lhes damos atenção, nós as vivenciamos nas dores e sintomas. Elas sempre arrumam um jeito de serem sentidas...

Como um psicólogo poderia ajudar? Para começar ele poderia ensinar estratégias para lidar com o estresse e a ansiedade, muito ligados à problemas como a gastrite. Também emoções como a raiva precisam ser reconhecidas e trabalhadas, assim como as situações que desencadeiam todas essas reações emocionais precisam ser revistas, para que se possa lidar com elas de forma mais equilibrada (sem os sintomas). Claro, você já tem um problema cristalizado no corpo. Isso significa que precisa sim tomar a medicação receitada e seguir as regras alimentares que o seu médico passou. O psicólogo terá o papel de auxiliar a encontrar recursos para que as coisas não precisem chegar a esse ponto novamente.

Caso queira ler mais um pouco sobre psicossomática, há algum tempo o Igor me escreveu perguntando sobre o assunto, segue o link: Doenças psicossomáticas.

Melhoras!
Beijo,

Bia


Para participar da coluna Ágora, envie a sua pergunta para o email bf.carunchio@gmail.com, você também pode participar enviando sua pergunta através da nossa página no Facebook ou do meu perfil pessoal.  Você tem a opção de se identificar ou de se manter como anônimo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário