quinta-feira, 29 de maio de 2014

Dicas para meditação e visualização

Como você se prepara antes de meditar ou fazer uma visualização? Quando eu apenas iniciava minhas práticas, encontrava diversos textos sobre como meditar, como fazer uma visualização, o que era uma coisa e outra... Mas nunca encontrei um texto sobre como se preparar para esses momentos. E um bom preparo pode fazer toda a diferença. Observo que muitas pessoas que afirmam que têm dificuldade para meditar, ou mesmo pacientes que contam que não conseguem fazer exercícios de imagem (que também são formas de meditar e visualizar) quase sempre cometem o mesmo erro simples: não entram no estado adequado antes do início das práticas. Hoje vamos aprender algumas técnicas bem simples para entrar nesse estado e atingir resultados melhores nas nossas práticas.


1- “Você precisa ir ao banheiro antes que a gente comece?” – Sim, é algo muito simples e básico, mas sempre que trabalho com crianças e vamos usar uma técnica de imagem, meditação guiada ou um relaxamento, gosto de fazer essa pergunta (e, quase sempre, eles respondem que sim!). A gente tende a se concentrar nas tarefas e olhar pouco para nós mesmos e nossas necessidades. Por isso, antes de começar é bom perceber se não precisa passar no banheiro ou beber água... É muito frustrante se concentrar e só então perceber essas necessidades básicas e simples – mas que podem incomodar e atrapalhar o andamento das atividades.

2- Alongamento! – Algumas pessoas, antes de começarem a meditar, gostam de fazer posturas de yoga, e isso é ótimo. A yoga é uma preparação do corpo para a meditação, momento em que, geralmente, passaremos um tempo mais longo parados. Se você não conhece yoga, não tem problema. Um alongamento básico também vale. Estique-se, espreguice! No caso de pessoas mais agitadas, mais dispersas ou que tendem a ficar sonolentas, costumo sugerir que antes do alongamento a pessoa salte 10 vezes. Isso tira a mente do foco anterior, ajuda a oxigenar o cérebro e, por consequência, ajuda a manter o foco na meditação ou na visualização.
3- Use roupas confortáveis, que não prendam a circulação. Se for necessário, afrouxe a gravata, abra o colarinho da camisa, tire sapatos, casacos pesados, abra o botão da calça ou da saia, tire o relógio ou outros acessórios que possam incomodar.
4- Relaxe o corpo. Você pode fazer isso dando a ordem mental a cada parte sua, como “relaxando os pés e tornozelos, relaxando as pernas...” e assim por diante. Claro, sinta os músculos se soltando enquanto faz isso, e não tenha pressa. Outra técnica eficaz é forçar e soltar cada músculo. Dê atenção especial a áreas como as costas, ombros, pescoço e rosto, que acumulam muita tensão. Com o tempo, você vai notar que dependendo das suas atividades, certas áreas são mais tensas que outras. Por isso, dê atenção a elas.
5- Mantenha sempre a coluna ereta. Isso ajuda o cérebro a se manter oxigenado, o que significa mais atenção, mais foco e mais eficiência/produtividade, além de menos distração e menos sonolência. Por isso, essa é uma orientação que dou não apenas para exercícios de meditação e visualização, mas também para momentos de estudo, leituras, enfim, tudo aquilo que nos exigirá atenção.
6- Antes de começar, faça alguns exercícios de respiração. Um bem simples é inspirar pelo nariz e soltar o ar pela boca, sempre sem pressa. Enquanto solta o ar, relaxe o corpo. Faça isso devagar, naquele ritmo que as pessoas adormecidas costumam respirar. A ideia é, com a respiração e o relaxamento, ajudar nosso cérebro a funcionar no padrão de ondas alfa – aquele padrão em que estamos relaxados e, embora despertos, estamos abertos para o mundo interno e para o contato com o inconsciente.
Agora sim, estamos prontos para começar. Ótimas práticas!

Para ler mais sobre meditação, acesse:

Publiquei este artigo originalmente no site Frutos do Carvalho, no dia 07/04/2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário