quinta-feira, 19 de junho de 2014

Respeitar a si mesmo

Muito se fala sobre a importância de respeitar – os outros, o mundo, a natureza... mas muitos se esquecem da importância do respeito a si mesmo. Parece algo simples, no entanto, quando pensamos no dia a dia, percebemos que muitas pessoas não se respeitam – e nem sequer percebem isso! Vamos começar pensando então em exemplos disso.


- Autossabotagem: aquele processo em que a pessoa tem uma meta, se esforça e no último momento, estraga tudo. O estudante que se dedicou o ano todo mas, bem no dia do vestibular, se atrasa ou tem uma dor de barriga e perde a prova. Ou a pessoa que luta sério por uma oportunidade e no último momento comete um erro até simples, mas que faz tudo desandar.

- Problemas na autoestima, que além de ser muito baixa, faz essas pessoas dizerem coisas ruins ou pejorativas sobre si mesmas (muitas vezes em tom de brincadeira, mas que carregam verdades desanimadoras).

- Falta de gratidão: a pessoa que simplesmente não consegue olhar para as coisas boas presentes na vida dela e se sentir grata. Isso é ruim, pois a pessoa, ao não sentir gratidão, não consegue olhar com amor para as coisas boas da vida, entrando num processo de amargura.

- Sentimento constante de amargura e de ser injustiçado. Muitas vezes isso se mostra na face de quem reclama demais, quando a pessoa não quer desabafar algo que aconteceu ou buscar mudanças, quer apenas repetir aquele mesmo discurso negativo de todos os dias, reforçando o quanto ela é cheia de problemas, de injustiças e o quanto todos só a usam sem se importar...


E daí?

O problema de não se respeitar é que, pouco a pouco, a vida vai perdendo a cor e ganhando os tons frios e sem graça do lado ruim da vida. A pessoa deixa de perceber o outro lado, deixa de notar tudo o que tem de bom na vida dela e tudo aquilo que a torna digna de respeito. Logo, outras pessoas notam isso, e ao perceberem que a pessoa não se respeita, surge a brecha para que os outros também a desrespeitem, como se ela dissesse “beleza, pode me usar, me desrespeitar, fique à vontade! Eu mesma faço isso!”


Como mudar isso e ganhar o respeito de si mesmo?

- Faça uma lista de gratidão, pelo menos 30 itens, se passar, melhor. Vale tudo, desde coisas bem únicas a seu respeito até coisas mais gerais como “não passar fome” ou “ter saúde”. Depois, pegue essa lista e coloque em algum lugar que você veja sempre, como a sua agenda, a porta da geladeira, etc. Todos os dias, leia essa lista e sinta, em seu corpo, a sensação de ser grato.

- Mais uma lista, dessa vez de atos heroicos. Claro, ninguém aqui cortou a cabeça da medusa ou realizou os trabalhos de Hércules! Mas todos temos nossos feitos, mesmo que mais humildes. Superar uma doença ou uma grande crise na nossa vida. Ter se formado. Ter conseguido fazer aquela viagem ou ter aprendido algo novo como andar de bicicleta ou um idioma... Todos temos algum feito. Os psicólogos chamam isso de referências de sucesso ou lembranças fortalecedoras. São elas que ensinam ao nosso cérebro que somos capazes, sim, e que temos forças para continuar por mais escuro que o caminho esteja. Outra vez, deixe essa lista num lugar em que possa ler sempre que possível (em especial nos momentos difíceis).

- Tente algo novo. Pode ser qualquer coisa, aprender algo diferente, começar a praticar um esporte, fazer outro caminho para ir até as atividades do dia a dia... Isso traz para o cérebro a certeza de que somos capazes, de que as possibilidades de transformação estão nas nossas mãos.

- Ensine algo a alguém. Vale ensinar qualquer coisa que você saiba: algo da sua profissão, uma receita, o que for. Ver que somos tão capazes a ponto de ajudar alguém a se capacitar também é algo que nos traz uma imensa sensação de segurança.



Acima de tudo, lembre-se, você não é perfeito e nem precisa ser. Ninguém é. E são os pequenos “defeitos” que nos tornam humanos, pois é neles que estão todo o nosso potencial para aprender mais, para que a gente se transforme. O respeito por si mesmo está em perceber a beleza nesse processo que vivemos de mudar e se transformar sempre.


Publiquei este artigo originalmente no site Frutos do Carvalho, no dia 31/03/2014.

2 comentários:

  1. Lindo texto!
    É a pura verdade, precisamos nos respeitar primeiro, esta questão de listas é muito legal, já me ensinaram a fazer coisas do gênero, e faz um efeito maravilhoso no interior de cada um.
    bjus
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  2. o mestre Jesus dizia: amar os outros como a si mesmo; os cristãos não prestam o devido valor a essa parte final, 'como a si mesmo', mas o mestre sabia do que falava: sem amor por si é impossivel amar o semelhante

    ResponderExcluir