quinta-feira, 7 de agosto de 2014

3 Formas de manejar crises de estresse

O estresse é como um pedido de socorro, alertando que precisamos mudar algumas coisas na maneira como vivemos, antes que os sintomas e problemas de saúde (físicos e/ou psíquicos) relacionados a ele se intensifiquem e se tornem crônicos. É como se a pessoa dissesse a si mesma "cuide de mim! Não estou conseguindo!" 

Para começar a conversa, é importante saber que o estresse nada mais é do que aquele estado de cansaço e sobrecarga emocional, causado por uma rotina muito agitada e sem tempos para respiros, problemas e conflitos com os quais nem sempre conseguimos lidar, perdas significativas, situações desagradáveis sobre as quais não temos controle... Ou até mais de um desses fatores juntos. Em geral, os quadros de estresse são acompanhados de sintomas como ansiedade, medos diversos ou insegurança, problemas com o sono e a alimentação, e mesmo alguns problemas na saúde do corpo. Algumas pessoas têm um quadro de estresse crônico, ou seja, estar estressado já é algo que acompanha essas pessoas há mais tempo. Nesses casos, é fundamental buscar ajuda profissional. Entretanto, todas as pessoas passam por momentos de estresse em alguma fase de suas vidas. Assim, hoje vamos ver algumas sugestões para lidar com esses momentos, não como algo preventivo, mas estratégias de ação para o momento em que a situação causadora está acontecendo (ou ainda está agindo sobre a nossa vida).

1- Respire com calma!
A respiração é algo que diz muito sobre nós. O ideal é que a respiração seja regular, profunda e mais lenta. Quando peço aos meus pacientes para que se concentrem em suas respirações, a maioria tende a acelerar o ritmo. Mas é bem o contrário o que precisamos! Não tenha medo de ir devagar. Respire profunda e lentamente, sentindo o ar entrar no seu corpo, o abdômen "subir", e o ar sair. Com calma, ninguém aqui está fugindo de um tsunami!

2- Quebre o estado.
Vá fazer outra coisa. Vá tomar com copo d'água, ou vá até o banheiro lavar o rosto, ou dar uma volta, saia do ambiente. A ideia não é "deixar para lá" e muito menos esquecer a situação tensa. A ideia é quebrar o estado emocional de ansiedade, medo, insegurança, raiva, etc., e assim, com a cabeça fria, poder olhar com clareza para a situação estressante e lidar com ela sem a influência de emoções que nos impeçam de pensar direito. Quando nos perdemos nesse tipo de estado emocional, nossa visão da situação é falha e deturpada.

3- Aceite que você não é o centro do mundo!
Porque ninguém é. Você é o centro do seu próprio mundo. Mas quando pensamos numa realidade mais ampla, é importante ter consciência de que cada pessoa só pode caminhar com os seus próprios pés, só pode dizer o que quer com seus próprios lábios. Então, solte o peso que não cabe a você carregar. Não adianta se estressar pelo que o chefe vai decidir, pelo que o filho resolveu fazer, pelo que o amigo tem enfrentado. Claro, podemos participar da vida dessas pessoas e dizer o que achamos, ou mesmo oferecer ajuda. Mas não podemos caminhar no lugar delas. Nao por "maldade" ou por frieza, mas porque cada pessoa so é o centro de seu próprio mundo e só pode agir nesse contexto.

Lembrando, é normal passar por momentos de estresse. Isso faz parte da vida de todos nós. Mas não é saudável fazer com que o estado de estresse se prolongue e atue o tempo inteiro sobre a nossa vida. Se for este o caso, é importante buscar ajuda de um psicólogo, bem como dar atenção a sua vida como um todo: as emoções, o corpo, a alimentação, o relacionamento com as pessoas com quem você convive, o sono, a forma como age e reage no dia a dia. Não é vergonha, nem defeito. É um sinal de que somos humanos, temos nossas limitações e pontos fracos e, algumas vezes, precisamos dividir o peso dos nossos ombros com alguém que nos ajude a continuar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário