terça-feira, 26 de agosto de 2014

Mythos - As Erínias: consciência pesada

Na mitologia grega, as Erínias eram três irmãs encarregadas de punir os mortais que cometiam algum tipo de injustiça, em especial assassinatos. Em algumas versões, elas nasceram quando Urano (o céu) foi castrado e gotas de seu sangue caíram sobre Gaia (a terra). Em outras, menos comuns), elas eram filhas de Nix (a noite). As Erínias também eram conhecidas pelo nome de Fúrias (entre os romanos). Na Grécia, para que se evitasse dizer seu nome e com isso chamar suas presenças desagradáveis, usavam alguns eufemismos para se referir a elas, como Eumênides (as bondosas, ou benevolentes) e Semnai Theai (algo como "deusas veneradas"). Elas viviam no Tártaro, a parte mais profunda do Mundo dos Mortos (ou do inconsciente, pensando numa perspectiva mais simbólica).

"O Remorso de Orestes", 1862, obra de William-Adolphe Bouguereau.
As Erínias eram representadas de forma grotesca, com cabelos de serpentes, asas de morcego e, algumas vezes, pés de bode. Quando algum mortal fazia algo de condenável, elas deixavam o Submundo e iam atrás dele para atormentar sua consciência com sentimentos de culpa e remorso. Essas eram as três fúrias:

- Alecto (a inominável, ou a implacável): espalha pragas e maldições, atormenta pessoas que demonstram sentimentos como ira, raiva gratuita ou injusta, soberba... Ela seguia a pessoa o tempo todo e nunca a deixava ter paz, nem durante o sono.

- Megera (o rancor): Ligada à inveja, ao rancor, à cobiça e ao ciúme. Esta erínia punia com especial empenho os delitos contra o casamento, em especial a infidelidade. É a erínia mais persistente, pois passava, em alguns casos, a seguir o mortal pelo resto da vida dele, lembrando-lhe de seus atos e atormentando-lhe a consciência.

- Tisífone (o castigo): atormenta aqueles que cometeram assassinato, especialmente se foi contra alguém da família. Ela persegue o culpado até fazer com que ele fique louco.


Questões para reflexão:

1- O tema das Erínias é muito próximo de todos nós. Dificilmente alguém passará a vida sem nunca experimentar remorso ou consciência pesada após tomar alguma atitude (mesmo que apenas algo leve, como uma palavra mais dura para alguém de quem gostamos). Em quais situações você já passou por isso? O que fez para aliviar o peso na consciência?

2- A mitologia grega tem um foco muito claro na questão da justiça, do equilíbrio ou da harmonia. Assim, mesmo que algo grave como um assassinato termine impune, o culpado receberia sua punição das Erínias. No mundo de hoje, vendo o mito de forma simbólica, percebemos que muitas vezes a maior "punição" vem da nossa própria consciência, nem sempre do mundo externo. Isso é interessante, pois algumas vezes as nossas "erínias" interiores punem atitudes nossas que, no mundo externo, nem sempre seriam vistas como algo tão ruim. O popular "nossa, será que fui dura demais com Fulano? Será que fui grosseira? Será que eu o magoei?" Isso nos mostra que, muitas vezes, o nosso senso de justiça e de certo e errado pode ser diferente do das outras pessoas ou mesmo do que se tem como consenso. Quais são os seus critérios de certo ou errado? Quais os seus valores principais? O que você "não perdoa"?

Nenhum comentário:

Postar um comentário