sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Ágora - Maturidade mental

Bia eu to meio ansioso de falar com vc! Olá! Eu queria entender por que meus pais são tão preocupados. Eu tenho 13 anos e gosto muito de ficar sozinho, gosto de ouvir música e ler, de desenhar, muito mais do que de ficar por aí com outros adolescentes. Meus pais me acham muito isolado e até já quiseram saber se fazem bullying comigo e não, não fazem. Meus colegas me respeitam muito e eu respeito eles, só não temos uma amizade. Na minha escola os meus colegas dizem que sou muito inteligente e as vezes acho que por me verem desse jeito eles não conseguem pensar em mim como um garoto normal de 13 anos com quem podiam ter mais amizade. A maioria dos meus poucos amigos são bem mais velhos que eu. Respeito meus colegas mas sinceramente acho as brincadeiras deles meio infantis e não me vejo vivendo como eles, parecendo que a gente nunca vai crescer. Eu queria saber se é normal isso e se meus pais tem razão de ficar preocupado. Pensei em pedir para eles me levarem no psicólogo o que vc acha? Obrigado e parabens pelo blog.
William


Bom dia, William!

Muito provavelmente, não tem nada de errado com você. A adolescência é um tempo de muitas mudanças e crescimento não apenas no corpo, mas também na mente e nas nossas emoções. E assim como o crescimento do corpo anda em ritmos diferentes (você deve ver que alguns dos seus colegas da sua idade parecem ter bem mais de 13 anos, enquanto outros ainda têm uma aparência um pouco mais infantil), também a nossa mente amadurece em ritmos diferentes. Esse ritmo de amadurecimento mental depende de diversos elementos, como a história de vida, a perspectiva e os planos para o futuro, a forma de olhar para o mundo e para si mesmo, a maneira como somos tratados pelos adultos e mesmo pelos colegas, além de elementos fisiológicos (como hormônios, algum tipo de distúrbio, nossa alimentação e estilo de vida...). Enfim, é normal em todas as fases da vida ter pessoas mais maduras e outras mais imaturas.

Estar fora da média (seja muito abaixo ou muito acima) quase sempre é algo um pouco solitário, pois aqueles que "deveriam ser" nossos iguais não nos reconhecem assim, ao mesmo tempo em que nós mesmos percebemos que aquelas pessoas com quem nos identificamos e até temos uma amizade também não são exatamente "iguais" a nós; se já saíram da adolescência, provavelmente o dia a dia e as tarefas e responsabilidades são bem diversas das de um garoto de 13 anos, por mais maduro e inteligente que seja...

William, acho importante você saber que o fato de estar tudo bem com você não significa que seus pais não vão se preocupar. É normal nossos pais quererem que os filhos cresçam saudáveis e tenham uma vida boa e feliz, plena de momentos de sucesso e de pessoas especiais. Num certo sentido, eles também têm razão. Por mais que você seja um garoto maduro e inteligente, a vida tem muitos lados. Não podemos nos dedicar a um ou dois e deixar o resto passar em branco (nem sei se é o seu caso, mas é meu papel falar também sobre isso). O que estou dizendo é que socializar também é algo importante e por mais que seja legal ter amigos de outras faixas etárias, com assuntos mais sérios, existem coisas que só acontecem aos 13 anos, coisas que não esperam e precisam ser vividas também. Amigos mais velhos são bons, todo amigo sincero é bom. Livros e músicas também podem ser ótimas companhias. Mas pode ser uma experiência interessante você se aproximar um pouco dos seus colegas. Não precisam virar melhores amigos se você não quiser. Mas invista algum tempo (quem sabe a hora do intervalo ou do almoço na escola?) trocando umas ideias com eles, isso não te fará "imaturo". Talvez você se surpreenda, talvez por detrás das brincadeiras infantis existam pessoas muito interessantes. Talvez vocês aprendam uns com os outros, eles a terem mais foco no futuro e você a ver o presente com um pouco mais de leveza. Pode parecer bobeira agora, mas daqui a alguns anos essa leveza pode fazer muita falta.

Sobre procurar um psicólogo, se você tem essa vontade acho muito válido. Sou da opinião que em algum momento da vida, em especial  nessas fases de transição como a adolescência, faz muito bem conversar com um psicólogo. A gente se entende melhor, se conhece direito e pode, assim, fazer escolhas mais acertadas para a nossa vida e lidar com elas.

Lembre-se sempre que não há nada de errado em ser diferente e gostar de atividades diferentes do que a maioria gosta, se isso nos deixa sorrir.

beijos,
Bia


Para participar da coluna Ágora, envie a sua pergunta para o email bf.carunchio@gmail.com, você também pode participar enviando sua pergunta através da nossa página no Facebook ou do meu perfil pessoal.  Você tem a opção de se identificar ou de se manter como anônimo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário