sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Ágora - Mente e cérebro

Oi Bia! Nós somos estudantes de psicologia do quarto semestre e queremos saber sua opinião sobre uma coisa. Outro dia a gente estava conversando depois da aula sobre a mente e o cérebro. O cérebro é o único responsável pelas coisas que se passam na nossa mente? Alguns de nós acham que não, mas outros dizem que sim, o cérebro que comanda tudo. O que você acha? Obrigada e parabéns pelo blog! 
Caroline, Lucas e Maria Fernanda


Bom dia!

Essas conversas de depois da aula são uma parte muito interessante da formação do psicólogo, ajudam a ter clareza da própria opinião, a expressá-la e a dialogar com os colegas. Vou adorar participar disso!

O cérebro realmente é uma parte importante do nosso organismo. Se já passaram pelas aulas de neuroanatomia, vocês provavelmente se lembram que o cérebro (ou melhor, todo o encéfalo), juntamente com a medula espinhal, formam o sistema nervoso central; e que a função deste sistema é receber informações do sistema nervoso periférico (como sensações do tato, de frio e calor, fome, dores, prazeres, aquilo que percebemos com os sentidos da visão, audição, paladar, etc.). Depois de receber, essas informações são interpretadas e então o sistema nervoso central nos manda uma resposta: está frio, vista um agasalho. Você está com fome, pare isso e vá almoçar. Perguntaram-lhe as horas, olhe no seu relógio e responda com educação a essa senhora. Você reencontrou um grande amigo e estamos aqui liberando substâncias que o farão se sentir bem e alegre. Claro, esses "pensamentos" não são conscientes, acontecem muito depressa, na forma de sinapses, isto é, impulsos nervosos entre os nossos neurônios.

A mente, no meu ponto de vista, é outra coisa. Também conhecida por psique, que em grego significa alma, a mente envolve o nosso cérebro e sistema nervoso... mas também envolve o restante no nosso corpo... indo muito além dele, para a consciência e o inconsciente, para o ambiente ao nosso redor e mesmo para aquelas pessoas com quem interagimos. É o colorido, a poesia da coisa. É sentir o aroma de um prato especial e se lembrar de um momento feliz de tantos anos atrás. É ver aquela pessoa especial e se sentir bem, feliz e perceber que o coração acelerou. É voltar a algum lugar que frequentava quando criança e ser inundado pela nostalgia e bons sentimentos. É projetar sobre a personalidade de outra pessoa algo que, na realidade, é parte nossa e não do outro. Sim, tudo isso passa pelo cérebro, pelos neurotransmissores, hormônios e substâncias que nosso organismo produz. Mas não vejo como apenas isso. Não percebemos e agimos só com o cérebro, a mente não está apenas no cérebro.

Essa discussão sobre mente e cérebro é muito antiga. Já acontecia entre filósofos gregos que discutuam a divisão entre corpo e alma/psique (claro, sem essa clareza que temos hoje sobre o funcionamento cerebral/corporal); ganhou novo fôlego com o filósofo francês Descartes e sempre esteve na pauta de discussões de filósofos e, mais recentemente, dos psicólogos. Há correntes de pensamento, como o comportamentalismo mais radical, que afirmam que a mente não existe. Há outras correntes, como a psicanálise clássica, que colocam dão um grande valor à psique. 

No fundo, o que estamos discutindo aqui é algo fundamental para que o psicólogo defina sua postura e seu discurso: qual a sua visão de ser humano? O que é o ser humano? Há algum tipo de meta maior em sua existência (desenvolver-se ao máximo, satisfazer seus impulsos inconscientes, passar pelo processo de individuação, deixar uma marca no mundo ou "apenas" ser feliz, entre tantas outras possibilidades)? Cada profissional e cada sistema teórico encontrará suas respostas, e todas são válidas se forem coerentes e éticas.

Minha postura pessoal é que mente e cérebro têm o mesmo peso no direcionamento dos nossos atos, pensamentos e emoções. Para mim eles funcionam de mãos dadas, um não existe sem o outro, e um não funciona bem sem essa parceria com o outro. Sugiro que vocês, estudantes, tenham sempre este tipo de questão em mente. Elas ajudam a definir posturas, linhas teóricas com as quais tem maior afinidade e mesmo escolhas na prática da profissão.

Espero ter contribuído para a discussão.
beijos e bons estudos!
Bia


Para participar da coluna Ágora, envie a sua pergunta para o email bf.carunchio@gmail.com, você também pode participar enviando sua pergunta através da nossa página no Facebook ou do meu perfil pessoal.  Você tem a opção de se identificar ou de se manter como anônimo.

2 comentários:

  1. Olha, como faço p te enviar perguntas ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Pode enviar para o meu e-mail: bf.carunchio@gmail.com ou então nas mensagens privadas da nossa página no facebook: https://www.facebook.com/blogarosadosventos
      Aguardo seu contato! ;)

      Excluir