terça-feira, 16 de setembro de 2014

Mythos - O mito da caverna - perceber o mundo

Hoje temos um mito que não é exatamente um mito. Explico: o mito de hoje é uma alegoria, uma história criada por Platão (filósofo grego do século V - IV a.C.) no livro A República, para mostrar como o conhecimento nos liberta de uma realidade limitada. Vamos à história.


Imagine um grupo de pessoas acorrentadas numa caverna desde o nascimento. Tudo o que elas conhecem do mundo é aquela caverna. Eles nunca saíram de lá, e passam a vida virados para o fundo da caverna. Lá existe uma fogueira que, além de aquecer e iluminar, projeta sombras de pessoas, animais, plantas e de tudo o que existe no mundo de fora. Como quase não há o que fazer por lá, eles passam os dias observando essas sombras, dando-lhes nomes, julgando e comentando seu comportamento e suas escolhas.

Tudo muda no dia em que um dos prisioneiros é autorizado a sair e explorar a caverna, assim como o mundo de fora. Ele fica muito encantado e surpreso! Tudo é tão claro e bonito lá fora! Ele se encanta com as outras pessoas, com as flores, com os animais, com o mar... E em meio a essa surpresa, ele lembra dos companheiros da caverna e decide voltar para lá. Mas quando ele conta aos prisioneiros sobre a água fresca do mar, a sensação do sol na pele, o perfume das flores e as interações com as pessoas (que em nada se pareciam com essas sombras projetadas na caverna), eles se revoltam e o ridicularizam. Quando o homem insiste, é chamado de louco e cai em descrédito. Mas ele não se abala, pois queria que seus companheiros também conhecessem a verdade e compreendessem o absurdo que era julgar a realidade através de sombras. Neste ponto, os prisioneiros ameaçam matá-lo.


Questões para reflexão:

1- Nós e a sociedade em que vivemos somos como os prisioneiros da caverna. Não vemos a realidade por completo, vemos apenas as "sombras" que são acessíveis a nós de acordo com a cultura em que vivemos, o papel que desempenhamos nas situações da vida, as informações às quais temos acesso. No entanto, sabemos (embora nem sempre as pessoas aceitem isso com tanta tranquilidade) que a realidade é muito mais ampla do que aquilo a que temos acesso. Existem realidades que não vemos (como o espaço, os átomos, as vísceras no interior do nosso corpo). Existem informações às quais não temos acesso, seja por pertencerem a áreas do conhecimento que não estudamos, seja por serem informações do dia a dia que não foram ditas a nós ou percebidas por nós (por exemplo, não sei o que se passa com pessoas que estão em outro lugar neste momento, a não ser que me contem). Como você lida com esse trânsito de informações e com essas múltiplas realidades? Você se parece mais com o "louco" ou com os prisioneiros?

2- Quais esforços você faz no seu dia a dia para se "libertar da caverna"? Procura conhecer modos de vida diferentes do seu? Novos assuntos? Novas formas de pensar e perceber o dia a dia? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário