terça-feira, 28 de outubro de 2014

Mythos - Medusa: o olhar que petrifica

A Medusa provavelmente é uma das criaturas mais conhecidas da mitologia grega. Ela é uma górgona, isto é, uma mulher com cabelos de serpentes, que fazia com que qualquer pessoa que olhasse diretamente para ela se transformasse em pedra. O interessante é que ela era a única górgona que era mortal e capaz de ser vista pelos seres humanos.

Mas nem sempre foi assim. Inicialmente, a Medusa era uma linda jovem, com cabelos muito brilhantes. Era tão linda que chamou a atenção de Poseidon, deus dos mares. Ele a seduziu e a levou para o templo de Atena (a deusa virgem da sabedoria e do conhecimento). Por sua vez, Atena ficou escandalizada com a ousadia do casal! Como puderam profanar o templo de uma deusa virgem daquela maneira? Furiosa, Atena vingou-se da jovem transformando-a em górgona, com cabelos de serpente, presas de javali e mãos de bronze. Nenhum outro homem jamais iria olhar para ela (mesmo porque, se o fizesse, viraria pedra!).

A Medusa foi banida para os confins do mundo ocidental. Lá, Perseu a encontrou e a decapitou. Quando a cabeça dela foi arrancada, saíram de lá o gigante Crisaor ("lâmina de fogo") e o cavalo alado Pégaso, com um grande estrondo. Alguns estudiosos de mitos acreditam que, por essa simbologia, inicialmente a Medusa pode ter sido a personificação das tempestades. Então, Atena, que guiava os golpes de Perseu, recolheu o sangue da Medusa em dois frascos e os deu ao médico Esculápio, explicando que o sangue recolhido do lado direito geraria a vida, e o do lado esquerdo era um veneno mortal. Quanto à cabeça da Medusa, Atena a tomou para si e com ela adornou seu escudo.


Questões para reflexão:

1- Percebemos dois momentos da Medusa: a bela jovem e o monstro terrível. Perceba que tudo tem uma dualidade. E, mais do que isso, perceba que nas dualidades, nos jogos de opostos, o "bom e mau" nem sempre é tão fixo e certo. No caso do mito, a deusa Atena percebeu a bela jovem como mais perigosa (pois ameaçava a integridade de seu templo - em linguagem simbólica, de seu lugar mais íntimo, da parte mais sagrada de si mesma). Qual seu lado mais perigoso (para si mesmo)? Quais características suas podem ser de grande ajuda ou, vendo por outro lado, arriscam colocar tudo a perder?

2- O sangue do lado direito da Medusa gera a vida e o do lado esquerdo gera a morte. Pensando na comparação da Medusa às tempestades, vemos que elas também são assim: ao mesmo tempo que são perigosas, gerando enchentes, virando embarcações e causando destruição e mortes, as tempestades têm um lado bom, pois fertilizam o solo. Somos uma dança complexa entre vida e morte, continuidade e destruição, avanços e retrocessos. Como seu lado mais "tempestuoso" pode te ajudar? O que ele te ensina?

3- A cabeça arrancada da Medusa continua a ter o poder de transformar aqueles que olham para ela em pedra. Isso conta sobre Atena (que adotou a cabeça para seu escudo, e que transformou a jovem em górgona), sobre seu próprio olhar. Um olhar que petrifica. Um olhar austero, que faz com que a força "bruta" se curve a ela, pois força sem inteligência não é de grande valia... Qual a sua maior estratégia? O que em você (características, comportamentos, conhecimentos) deixa outras pessoas impressionadas, "petrificadas"?

Nenhum comentário:

Postar um comentário